Ricardo Barbosa afirma: ‘não é preciso ser cabedelense para ser um bom prefeito de Cabedelo’

Ricardo Barbosa afirma: ‘não é preciso ser cabedelense para ser um bom prefeito de Cabedelo’

Em entrevista ao Rádio Verdade, o Deputado Estadual Ricardo Barbosa (PSB) comentou sua possível candidatura à prefeitura de Cabedelo em 2016. Para ele, não é necessário ser conterrâneo dos seus eleitores para fazer um bom governo, apenas que haja as coligações políticas corretas e o desejo de mudança por parte da população.

“Ter nascido na cidade não é pressuposto basilar, é preciso ter boas alianças, apoio do partido e fazer uma pesquisa para ver se a cidade quer a mudança”, explicou o deputado.

Para atestar sua teoria, Ricardo Barbosa citou diversos exemplos de gestores que foram eleitos em cidades que não eram suas terras natais, como Cícero Lucena e Luciano Agra. Barbosa ainda exaltou as ações do secretário de articulação municipal do Governo do Estado, Waldson de Souza (PSB) que está sistematizando sua base política no Conde.

“O Conde é um modelo disso porque os prefeitos de lá não administram bem, mas Waldson –que não é do conde – já está construindo muito bem seu leque de alianças”, contou Ricardo.

Perguntado o motivo de não se candidatar em João Pessoa, Ricardo Barbosa afirmou que a capital está já contaminada pelo estilo de gestão de Ricardo Coutinho e ele quer levar essa boa influência para Cabedelo. O deputado ainda elogiou o a administração do governador Ricardo Coutinho.

“A Paraíba de hoje é melhor do que a de ontem. Respeito quem é contra Ricardo, mas não posso negar que está melhor”, aplaudiu o entrevistado.

O Deputado Estadual contou que nos próximos dias deve estar em Cabedelo conversando com os seus aliados em Cabedelo buscando merecer o apoio dos líderes políticos da cidade.

Sem licença por enquanto

Ricardo Barbosa ainda esclareceu uma pequena confusão que aconteceu na Câmara dos Deputados quando foi anunciada uma licença para tratamento de saúde. Segundo o deputado, o documento era para o seu colega homônimo Ricardo Marcelo. Apesar de ter sofrido com um câncer recentemente, Ricardo afirmou que vai apenas diminuir seu ritmo de trabalho, mas não vai se ausentar da câmara neste momento.

 

 


Yves Feitosa/Fernando Braz