Reunião com o Cespe deixa candidatos 'acesos', à espera do edital; salários chegam a R$ 7 mil

Reunião com o Cespe deixa candidatos 'acesos', à espera do edital; salários chegam a R$ 7 mil
A reunião que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) teve com o Cebraspe (Cespe/UnB) no último dia 7, motiva os pré-candidatos do concurso para 950 vagas a intensificarem os estudos. É que, como a autarquia já escolhe a organizadora da seleção, a expectativa é que a banca e o edital não demorem a ser divulgados. Como o concurso do INSS promete ser bastante disputado, ter domínio de grande parte do programa do último concurso para o cargo almejado, que não deverá sofrer alterações, é um diferencial rumo à contratação.
 
Um dos interessados na seleção do INSS é o analista de cobranças Alex Sander Gomes Mendonça, de 38 anos. Ele estuda há nove meses para ingressar no cargo de técnico do seguro social, e confessa que fica um pouco assustado com a celeridade dos preparativos. "Todas essas informações me deixam um pouco assustado, pois vejo que está chegando a hora. Isso, porque quando o concurso está naquela etapa de burburinho, ainda sem previsão de sair, nós costumamos ficar na linha de conforto, estudando menos horas. A autorização e a procura de uma banca organizadora causa um certo frio no estômago, pois a gente tende a achar que nunca está preparado", assinalou.
 
Alex avaliou ainda a possibilidade de o Cespe/UnB ser o organizador. Para ele, é uma boa notícia. "É uma banca que valoriza quem estuda e, normalmente, evita que alguém, por descuido, consiga a aprovação. É uma banca mais justa, e isso me agrada. "Ainda segundo o concurseiro, a proximidade de o INSS escolher o Cespe/UnB como organizador não altera em nada o seu estudo. "Não muda muito, porque nesses nove meses tenho me preparado para qualquer banca, focando no conteúdo. Acredito, porém, que conseguirei a aprovação e, em breve, a FOLHA DIRIGIDA me entrevistará como o novo técnico do INSS."
 
Quem também sonha com a função de técnico do INSS é a técnica em eletrônica Cristiane Silva, 35 anos. Ela está mais motivada a intensificar os estudos. "Fico mais motivada a estudar, e realmente tenho que ficar, porque antes da autorização estava me preparando somente para o concurso do Ministério Público do Rio de Janeiro. Obviamente, vejo nessas informações um gás a mais para estudar, porque o concurso autorizado e o órgão já procurando organizadora significa que o concurso está próximo de ocorrer", assinalou. Cristiane também avaliou o Cespe/UnB, que, na sua visão, não é uma banca fácil. "Encaro qualquer organizadora, mas para o Cespe/UnB vou ter que rever muitos pontos, pois não é uma banca que estou muito acostumada", revelou.
 
Preparativos - Das 950 vagas oferecidas pelo INSS, 800 são de técnico do seguro social, de nível médio, e 150 de analista do seguro social, destinado a graduados em Serviço Social. Como o instituto já procurou o Cespe/UnB, acredita-se que a etapa de estudo da distribuição das vagas e de preparação do projeto básico já tenha sido encerrada. A Assessoria de Imprensa do INSS não confirmou isso e não garantiu o Cespe/UnB como organizador, limitando-se a dizer que "todo o processo segue em fase de planejamento e estudos" e que o encontro, de fato, ocorreu. A autarquia já possui um cronograma interno, e, segundo o setor de Recursos Humanos, o edital sairá antes de 29 de dezembro, prazo estipulado pela portaria de autorização. 
 
Remunerações - Assim que ingressa no instituto, o técnico tem remuneração de R$4.614,87, que, após seis meses de trabalho, passa para até R$5.259,87. Os analistas, por sua vez, ingressam recebendo remuneração de R$6.832,89, que, depois de seis meses, sobe para até R$7.869,09. O regime de contratação é o estatutário, que garante a estabilidade . 
 
 
 
 

Folha Dirigida