Renan Palmeira deixa o Psol após ‘brigas internas’ no partido

Renan Palmeira deixa o Psol após ‘brigas internas’ no partido

Após mais de 10 anos militando no Psol, o ativista Renan Palmeira anunciou sua desfiliação do partido. Renan usou sua página no Facebook para fazer o anúncio.

renan palmeira-psol copy

Em pouco mais de uma década, Renan disputou a prefeitura de João Pessoa e também uma vaga na Câmara Federal (sem sucesso em ambas as eleições).

Renan alegou ‘problemas internos’ no partido para decidir pela desfiliação, mas garantiu que não abandonará as ‘bandeiras’ defendidas pela legenda.

Conhecido pelo combate em prol dos direitos LGBT, ele disse que não se filiará a nenhum partido e que pretende dar continuidade à sua luta nos movimentos sociais e instituições onde se sentir representado.

O ativista lembrou que fez parte do processo de criação do Psol e que tem muito respeito pelos integrantes da legenda. Abaixo, veja na íntegra o anúncio feito pelo ativista Renan Palmeira, através de sua página no Facebook:

“Companheiros e companheiras do PSOL,

A partir de hoje deixo de ser um filiado e passo a ser um amigo do partido.
Tenho orgulho de ter feito parte da construção do PSOL na Paraíba, partido o qual entrei ainda na adolescência em 2004, na época percorremos todo o estado colhendo assinaturas para legalizar a legenda, cumpri a tarefa de ser candidato a prefeito em 2012, obtendo 5 mil 830 votos, em 2014 fui candidato a deputado federal, qual obtive 8 mil 240, além de ter ocupado o cargo de presidente da legenda em nosso município. Tenho certeza que nesses 12 anos de militância no PSOL, honrei minha presença como militante, como construtor do partido e como candidato.

Considero o PSOL um partido de lutas dignas, justas e honradas, na defesa incondicional aos direitos humanos e a classe trabalhadora, me retiro pela discordância de algumas movimentações internas nos últimos períodos.

Reafirmo meu compromisso e militância na defesa da dignidade humana, da promoção da cidadania LGBT, na luta para superar as desigualdades e na agenda dos movimentos social rumo ao um BRASIL DE FATO cidadão, popular e democrático.
Saio para fortalecer minhas convicções e não para abandoná-las.
Renan Palmeira”.

 

 

 

 

 

Jãmarrí Nogueira-MaisPB