Renan Calheiros se diz favorável à antecipação de eleições gerais

Renan Calheiros se diz favorável à antecipação de eleições gerais

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) se manifestou nesta terça-feira (5) favoravelmente à antecipação de eleições gerais (para presidente e para a Câmara e o Senado) como forma de se buscar uma solução para a crise política.

Ele fez a afirmação ao ser questionado por jornalistas sobre proposta do senador Valdir Raupp (PMDB-RO). Nesta segunda-feira (4), na tribuna do Senado, Raupp sugeriu a antecipação da eleição presidencial para outubro deste ano (junto com a eleição municipal), o que, para o senador, seria uma solução alternativa para o processo de impeachment ao qual a presidente Dilma Rousseff responde no Congresso.

 “Eu, sinceramente, vejo com bons olhos essa coisa da eleição geral. Acho que se a política não arbitrar saídas para o Brasil, nós não podemos fechar nenhuma porta, deixar de discutir nenhuma alternativa, nem essa de eleição geral, nem a de fazer uma revisão no sistema de governo, e até identificarmos o que há de melhor no parlamentarismo e no presidencialismo”.

Aliado da presidente Dilma Rousseff, Renan Calheiros disse concordar com a tese de antecipar eleições gerais porque é "mais ampla" que a antecipação somente da eleição presidencial.

"Antecipação de eleição presidencial é uma outra coisa. A tese da eleição geral que está sendo defendida, é uma tese mais ampla e pode significar uma resposta da política ao Brasil, que continua a demonstrar muita ansiedade neste momento. Eleição geral é eleição para todo mundo, e só é geral se for assim. ”, disse.

Nesta terça, a presidente Dilma Rousseff foi questionada sobre essa possibilidade e respondeu pedindo que deputados e senadores sejam consultados. "Eu acho que essa proposta, como várias outras, são propostas. Não rechaço nem aceito. É uma proposta. Convença a Câmara e o Senado a abrir mão dos seus mandatos. Aí você vem conversar comigo", afirmou.

 

Presidência do PMDB
Calheiros comentou a mudança na presidência do PMDB. O senador Romero Jucá assumiu o comando do partido devido à licença solicitada pelo vice-presidente da República Michel Temer.

 

“Eu acho uma boa solução. O senador Romero Jucá é um grande quadro, tem relação com praticamente todos os segmentos do partido e sem dúvida nenhuma pode fazer um esforço pela unificação”, afirmou.

 

 

 

 

 

G1