Reforma política: Manutenção das coligações acaba com a fusão de partidos

Reforma política: Manutenção das coligações acaba com a fusão de partidos

MANUTENÇÃO DE COLIGAÇÕES ACABA FUSÃO DE PARTIDOS
A manutenção das coligações partidárias aprovada pela Câmara Federal na votação da reforma política, tornou inviável a fusão dos partidos como estava previsto no cenário político nacional. Estavam programadas as fusões entre PPS/PSB e PTB/DEM. O primeiro a se manifestar foi o PPS, presidido pelo deputado Roberto Freire(SP) que se juntaria ao PSB. Depois, não houve acordo entre DEM e PTB. Assim, cada um vai seguir seu rumo.

DESCONFIANÇA
No caso do DEM com o PTB o que pesou mesmo foi a desconfiança dos dois lados. Se houvesse a fusão, o nome continuaria PTB e o partido receberia 22 novos deputados federais, três senadores e um repasse mensal de R$ 70 milhões do fundo partidário.

PEGA LADRÃO
A turma do DEM, não confiou em deixar essa montanha de dinheiro nas mãos de Roberto Jefferson, o delator do mensalão, que disse na Justiça ter ficado com R$ 4 milhões sem que até hoje, tenha dito onde meteu esse dinheiro.

PEQUENOS FESTEJARAM
Integrantes dos pequenos partidos festejaram a manutenção das coligações. Presidente do PTC, o deputado Evaldo Gomes chegou a soltar fogos de tanta alegria. Ele é o campeão de coligações vitoriosas no Piauí. Outro que festejou foi o deputado convocado Francis Lopes. “Eu sou suplente e só estou na Assembleia, graças a coligação que meu parido fez”, disse.

NOVO PRESIDENTE
Do Rio de janeiro, o deputado Fernando Monteiro confirmou que o deputado federal José Francisco Paes landim deverá mesmo ser o novo presidente do Partido Trabalhista Brasileiro no Piauí. O convite partiu da presidente, deputada Cristiane Brasil.

 

 

 

 

180 Graus