RC evita comentar decisões do TRE, mas alfienta Cássio

RC evita comentar decisões do TRE, mas alfienta Cássio

Apesar de ter tido um resultado favorável, o governador Ricardo Coutinho (PSB) não quis comentar as recentes decisões do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba em relação às Aijes impetradas pelo grupo do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) pedindo sua cassação por suposto abuso de poder econômico no pleito de 2014.

“Eu não comento isso por uma razão bem simples. Meu adversário é useiro e vezeiro de fazer um monte de acusações e processos para poder criar expectativas na população quando toda a Paraíba sabe quem compra votos, quem compra prefeitos, quais são as diferenças enormes de fazer politica entre mim e ele. Eu tenho aí uma boa caminhada e não quero fazer juízo de valor a meu respeito, agora as pessoas sabem que existem diferenças enormes na forma de tratar o setor publico , o dinheiro e de se comportar eticamente perante essas coisas todas. Decisão de tribunal não vou comentar porque respeito o tribunal”, disse.

Em uma das ações a Corte julgou improcedente a que acusava o governador de abuso de poder econômico afirmando que ele concedeu benefícios a policiais civis, militares e bombeiros em período eleitoral.

Já a ação, conhecida como Aije Fiscal, que na sessão de julgamento do último dia 04 de fevereiro, havia recebido os votos dos juízes Tércio Chaves de Moura (relator), Sylvio Pelico Porto Filho e Breno Wanderley César Segundo, pela improcedência da ação, foi retomada com o voto-vista do desembargador Leandro dos Santos, que a julgou parcialmente procedente, aplicando multa de 20 mil UFIRs para cada investigado. O juiz Ricardo Freitas votou pela improcedência da ação e, na sequência, o juiz Emiliano Zapata de Miranda Leitão pediu vista do processo.

Segundo o governador, o grupo adversário, derrotado em 2014, estimula denúncias falsas na expectativa de tumultuar o processo, podendo, como representante político, ajudar no desenvolvimento da Paraíba e não na política do quanto pior melhor.

“Ele estimula denuncias falsas para poder tumultuar o processo, ele poderia ser mais generoso com a Paraíba, pois não tem uma emenda dele para o Estado, é zero, mas ao mesmo tempo é o maior cobrador. Recentemente foi criticar o Hospital Padre Zé, por exemplo, e eu digo que em cinco anos botei mais dinheiro lá do que ele em seis anos, ou seja, é algo que sinceramente, numa crise como essa, o politico que tivesse o mínimo de compromisso com seu povo, teria que agir de forma diferente de que esse cidadão age”, rebateu.





Henrique Lima/ Márcia Dias

PB Agora