Raimundo Lira suspende reunião para parar bate-boca entre Cássio e Lindberg

Raimundo Lira suspende reunião para parar bate-boca entre Cássio e Lindberg

O presidente da comissão do processo de impeachment, Raimundo Lira (PMDB-PB), suspendeu por 10 minutos a reunião no Senado, para trocar a campainha da sala, na tentativa de parar mais um bate-boca entre os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).

Com som semelhante ao das sinetas escolares, o equipamento foi acionado, mas o baixo volume não fez parar a discussão entre os senadores. Foi quando Lira resolveu suspender a sessão para a troca da campainha. “Essa campainha não está à altura do momento histórico que estamos vivendo”, disse. 

Depois disso, funcionários vestindo uniformes azuis chegaram ao local com uma escada. Tiraram a campainha de uma sala próxima e instalaram no lugar da outra, observados por dezenas de jornalistas.

Na discussão, antes da troca da campainha, o senador Cássio acusou a assessoria do petista de publicar na página do político falsas declarações atribuídas ao senador Aécio Neves. O tucano considerou a postagem ‘gravíssima’, pois as falas eram inverídicas e o evento nunca ocorreu.
“Quero crer que foi um descuido da assessoria do senador, pois o evento nunca ocorreu e por mais duros que sejam nossos debates, não podemos, como senadores, nos afastar da verdade”, disse.

Lindbergh rebateu Cássio e o acusou de defender o ‘golpe’ para apoiar o programa de governo do vice-presidente Michel Temer (PMDB) que, segundo ele, objetiva retirar direitos trabalhistas e entregar o pais à política norte-americana.

 

 

 

 

Click PB