Raimundo Lira garante visita à Paraíba, opina sobre escândalos no Congresso e reafirma origem sertaneja

Raimundo Lira garante visita à Paraíba, opina sobre escândalos no Congresso e reafirma origem sertaneja

O senador Raimundo Lira (PMDB) explicou o porquê de ainda não conseguiu vir a Paraíba, após assumir na Congresso Nacional na vaga do agora ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Vital do Rego Filho (PMDB). “Nós estamos vendo a possibilidade de ainda em dezembro dar uma passadinha em Campina Grande e João Pessoa para rever os amigos”, garantiu o senador. Sobre uma visita a sua terra natal, Cajazeiras, o parlamentar explicou que está ‘organizando isso’.

“Em janeiro temos uma programação certa. Confirmei a minha presença na posse do presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, Marcos Cavalcanti, no dia 30 de janeiro, também o vice-presidente José Mario Porto”, explicou.

Turbilhão escândalos – Questionado como será sua atuação frente aos escândalos existentes no Congresso Federal, o novo senador explicou que não pode ter a pretensão de interferir em tudo. “Nós não podemos ter a pretensão de interferir ou resolver as grandes questões nacionais. Vou cumprir a minha parte, as grandes questões serão naturalmente resolvidas ao longo do ano de 2015, que com certeza será um ano difícil do ponto de vista econômico. Mas já a partir de 2 semestre de 2015 já começa a melhorar e em 2016 teremos a retomada do crescimento”, acredita.

Filho do Sertão - Lira revelou qual a sua naturalidade, se Cajazeiras, São José de Piranhas ou Engenheiros Ávidos. “Eu tenho falado com os amigos de Cajazeiras e alguém até falou que eu era filho de São José de Piranhas. Os meus pais são de São José de Piranhas, eu nasci no distrito de Engenheiros Ávidos, na casa número 8. Na época estava havendo a construção do grande açude de engenheiro ávidos, meu pai foi um empreendedor e foi para lá participar da construção daquela barragem. Eu nasci lá e logo criancinha, 5 anos, papai foi morar em Cajazeiras, na rua Coronel Peba. Quando eu fui eleito senador (em 1986) e recebi a consagração das 125 urnas de Cajazeiras e de Engenheiro Ávidos eu prometi o que Boqueirão me pediu, que foi a construção da ponte atravessando o Rio Piranhas. No primeiro ano de mandato eu levei os recursos federais para o estado e o governo Burity construiu a ponte e cumprimos aquele pedido”, pontuou.

 
 

Paulo Dantas