Racha do PMDB com Dilma repercute na AL e ricardistas defendem novas eleições

Racha do PMDB com Dilma repercute na AL e ricardistas defendem novas eleições

O anúncio de saída do PMDB do governo Dilma Rousseff (PT) nesta terça-feira (29) repercutiu na sessão da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), na manhã desta quarta-feira (30). Vários deputados chegaram a defender novas eleições gerais para conter a crise financeira e política que assola o Brasil.

O deputado Tião Gomes (PSL) disse que o Brasil está sofrendo, com tudo “desmantelado” e a solução seria novas eleições. Para ele, o impeachment de Dilma é um golpe e a situação do país vai piorar com o PMDB no poder.

“A situação do país é critica. Eu quero dizer que esse rompimento é pior para o Brasil. Quem mandou durantes os últimos anos foi o PMDB. Não era o governo PT, quem fazia tudo, os planos principalmente de corrupção, era o PMDB. Eles são responsáveis pelo que está acontecendo no país. Acredito que o impeachment é um golpe, se está ruim, pior é cair na mão do PMDB. Creio que no lugar do impeachment poderia fazer uma eleição geral”, afirmou.

O deputado Hervázio Bezerra, que é de um partido opositor a Dilma – o PSB, também criticou a postura do PMDB e defendeu novas eleições. Ele criticou o vice-presidente Michel Temer.

Ele também disse temer confrontos físicos nas ruas do Brasil, caso Dilma seja tirada do governo. “Nós sabemos que as esquerdas não vão entregar fácil o comando da nação e nos vamos ter confrontos seriíssimos. Se hoje está ruim poderá ficar pior. O melhor para hoje seria eleições diretos para presidente”, afirmou.

 

 

 

MaisPB