Quadro clínico de Ariano Suassuna piora e situação é instável, diz boletim

Quadro clínico de Ariano Suassuna piora e situação é instável, diz boletim

Boletim médico divulgado na noite desta terça-feira (22) informa que houve um agravamento do quadro clínico do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, 87 anos, internado no Hospital Português, no Recife, desde a última segunda-feira (21). Segundo a nota, "a situação é instável, com queda da pressão arterial e pressão intracraniana muito elevada".

Ele permanece internado na UTI neurológica, em coma e respirando com ajuda de aparelhos.

O boletim divulgado às 20h é assinado pela neurocirurgiã Feliciana Castelo Branco.

Ainda na noite da segunda, o escritor passou por uma cirurgia para a colocação de dois drenos, na tentativa de controlar a pressão intracraniana. Suassuna sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) do tipo hemorrágico. Não há previsão de alta.

No ano passado, Ariano Suassuna foi internado duas vezes. Na primeira ocorrência, em 21 de agosto, sentiu-se mal em casa e precisou ser hospitalizado.

Ele sofreu um infarto agudo do miocárdio de pequenas proporções, de acordo com os médicos, e ficou internado na unidade coronária, mas depois foi transferido para um apartamento no hospital. Recebeu alta após seis dias de internamento, com recomendação de repouso em casa e nenhuma visita.

Dias depois, foi levado ao hospital novamente - dessa vez, foi detectado um aneurisma cerebral.

O escritor passou por um procedimento chamado arteriografia, capaz de tratar o aneurisma, saiu da UTI e foi levado para um apartamento do hospital, de onde recebeu alta seis dias depois da internação, no dia 4 de setembro.

Autor de "O auto da compadecida", entre diversas outras obras, Ariano Suassuna nasceu em 16 de junho de 1927, em João Pessoa, e cresceu no Sertão paraibano. Mudou-se com a família para o Recife em 1942. Sua primeira peça, "Uma mulher vestida de sol", ganhou o prêmio Nicolau Carlos Magno em 1948.

Tem contos e livros adaptados para a televisão e para o cinema. "O auto da compadecida" foi adaptado para a televisão em 1999, por Guel Arraes, enquanto "Romance d'a pedra do reino" e "O príncipe do sangue do vai-e-volta" deram origem à minissérie "A pedra do reino", com direção de Luiz Fernando Carvalho, exibida na Rede Globo em 2007.



G1