PTB terá candidato próprio em João Pessoa e Wilson Santiago defende independência do partido

PTB terá candidato próprio em João Pessoa e Wilson Santiago defende independência do partido

O PTB na Paraíba está querendo crescer. O presidente do partido na Paraíba, Wilson Santiago, quer lançar candidatura própria do partido em João Pessoa nas próximas eleições municipais. Outras cidades da Paraíba, segundo Santiago, também estão no alvo do partido para promover seu crescimento.

“E onde não for possível lançar candidatos próprios vamos  lutar para participar das alianças, participando das chapas majoritárias ou não”, explicou o presidente da legenda.

Santiago entende que a expansão só é possível por este meio, promovendo nomes fortes para disputas municipais.

“Queremos expandir o partido e só se expande o partido com lançamento de candidaturas a prefeitos, vereadores, vice-prefeitos, ou participando do processo eleitoral, que é assim que o partido se expande, cresce e contribui com a democracia”, disse.

PTB independente – Sobre a atuação do partido na Assembleia Legislativa e com relação à política estadual,  o presidente disse que uma reunião da Executiva Estadual está marcada para definir que postura o PTB, se será de oposição ou situação. A preferência de Santiago é por uma atuação independente, tanto na política estadual quanto na Assembleia Legislativa. O único deputado do PTB na Casa é Doda de Tião, que apoiou Ricardo Coutinho durante as eleições do ano passado.

“Todo partido políico tem que ter independência. Seq ueremos crescer, desenvolver o nosso estado, temos de exercer um papel obrigatório que qualquer partido tem que é o de contribuir com a democracia, com o desenvolvimento do estado e como bem estar da própria população”, explicou.

Ele exemplificou sua fala dizendo que projetos devem ser aprovados ou não independentemente da posição do governo em relação a eles.

“Se o projeto é de interesse do governo mas de interesse da população, é obrigação dos partidos aprovar este projeto. Se o projeto é danoso, é obrigação dos partidos e da classe política rejeitar. Então não existe nesse instante nem governo e nem oposição. Existe independência partidária para representar a vontade do povo paraibano e do povo brasileiro”, concluiu.
 
 
 


João Thiago