PTB diz que partido tem posição independente em relação a Dilma mesmo com Wilson Santiago no BB

PTB diz que partido tem posição independente em relação a Dilma mesmo com Wilson Santiago no BB

A presidente nacional do PTB, Cristiane Brasil, convidou a população para um evento do partido em João Pessoa, nesta sexta-feira (25), destacou que nacionalmente o partido adota postura independente em relação ao governo Dilma, mas que não pode se opor aos acordos individuais dos partidários, a exemplo do presidente estadual  do partido, Wilson Santiago.

“Vamos lançar as ferramentas possíveis para os que desejarem se lançar a prefeitos e vereadores e motivar os candidatos a fazer candidaturas majoritárias que é do interesse do partido, na proporcional homens e mulheres ter representação na sociedade para que possamos representar de verdade os anseios da população que está cansada”, disse.

Conjuntura nacional – De acordo com a presidenta, o partido nacionalmente adotou algumas bandeiras que vão de encontro a medidas de governo. “O PTB é contra a retirada de qualquer direito do trabalhador, preza que as aposentadorias sejam revistas para que aposentados não percam o poder de compra, tampouco a dignidade. O PTB é absolutamente contra qualquer majoração de tributos, criação de novos impostos, a sociedade é absolutamente contra a pagar novos impostos”, afirmou.

“Temos posição de independência com críticas, mas também respeitando parlamentares e membros do partido que ainda acreditam que o governo pode dar alguma resposta à sociedade”, destacou.

Cristiane aproveitou para convidar a população para o evento e destacou que irá apresentar uma nova maneira de fazer campanha que vai baratear o custo. Para ela, a sociedade não quer mais ficar assistindo campanhas milionárias. “Apesar dos 70 anos de partido, vamos mostrar que pode sim ter uma cara nova, jovem e promissora”, comentou apontando o trabalho de Wilson Filho em Brasília.

PTB de Pivô do mensalão a cargo no Banco do Brasil – Questionada a respeito de seu pai, o ex-deputado Roberto Jefferson, que foi o ‘delator mor’ que culminou com o processo do mensalão e como o partido pode manter uma postura de independência com o presidente estadual tendo aceitado um cargo no Banco do Brasil, a presidente afirmou que o fato de um partidário participar do governo não conflita com a independência do partido.

“Respeitamos arcos individuais, não é o momento de ruptura total nem aproximação, minha postura é de oposição total, mas eu como presidente de uma instituição que é plural não posso proibir dirigentes partidários como Wilson Santiago e fazer os acordos individuais que estão fazendo”, disse.

Já sobre Roberto Jefferson, a deputada destacou que seu pai está bem de saúde após passar por uma cirurgia muito grande para extirpar um câncer e que tem acompanhado a política nacional “em que pese ele não poder se pronunciar a respeito por decisão do ministro Barroso, mas ele gosta demais do partido, de política e tem esperança que o caminho que ele abriu para mostrar as verdades”, apontou colocando Jefferson no mesmo patamar que o ex-ministro Joaquim Barbosa e o juiz Sérgio Moro.

“Que continuem a mostrar que a política nacional tem que mudar e para um caminho que não seja nem de extrema esquerda como o que temos até então, nem de extrema direta como na ditadura. É o caminho que queremos trilhar com a população brasileira”, comentou sem ‘lembrar’ que o seu pai também esteve envolvido o escândalo de corrupção e foi notório por ‘entregar’ os outros participantes. 

 

 


Marília Domingues