PT nacional acusa Ricardo Coutinho de quebrar acordo de neutralidade

PT nacional acusa Ricardo Coutinho de quebrar acordo de neutralidade

O secretário nacional de organização do PT, Florisvaldo Raimundo de Sousa (foto), admitiu, nesta quinta-feira (17), que a participação da presidente Dilma Rousseff (PT), no guia eleitoral do senador Vital Filho (PMDB), candidato a governador pela coligação “Renovação de Verdade”, foi uma forma de retaliação às críticas do governador Ricardo Coutinho (PSB) ao Governo Federal durante atividade de campanha da presidenciável Marina Silva (PSB) na Paraíba no último final de semana.

“Ele foi infeliz naquelas afirmações que fez no comício. Acho que ele não precisava daquilo, talvez ele tenha tentado pegar carona para melhorar seu desempenho, no desempenho da Marina. Mas, acho que nem consegue por que são muitas as baixas na campanha de Marina nos últimos dias”, disse.

Florisvaldo acrescentou que, como o governador quebrou o compromisso de neutralidade para a eleição presidencial, o PT fica livre.

“Acho que se ele tivesse mantido a posição de neutralidade, que era um compromisso que tinha conosco teria um desfecho melhor, talvez a presidenta Dilma não teria aparecido no guia de Vital”, declarou.

Apesar de rechaçar a postura do governador, o secretário afirma que “as atividades de campanha da coligação do PT com o PSB, em torno das candidaturas de Ricardo a governador e do petista Lucélio Cartaxo a senador continuam no Estado”.

“Mas, como ele deu indicação de apoio a Maraina, se ele tomou uma posição, ficamos livres para tomar outra”, completou.

Cristiano Teixeira - MaisPB