PT e PSDB cortejam PSB em cerimônia em memória a Eduardo Campos

PT e PSDB cortejam PSB em cerimônia em memória a Eduardo Campos

Na sessão solene da Câmara dos Deputados que marcou um ano da morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, PT e PSDB cortejaram o PSB que, desde outubro de 2013, adotou postura de independência no Congresso. Na época, a decisão possibilitava que Campos ficasse livre para disputar a Presidência da República contra a presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

 

— Nossas convergências eram tão numerosas que deixam em um plano menor as raras discordâncias que tínhamos — discursou o líder do PT na Câmara, Sibá Machado (AC). 
 
 
 
O deputado diz que, "na medida do possível", o partido tem buscado diálogo com o PSB.

 

— A tese deles não tem nada a ver com os tucanos — afirmou.

O líder da Minoria na Câmara, Bruno Araújo (PSDB-PE), discordou.

 

— Temos muito mais convergências que divergências — disse o tucano. 
 
 
 
Em seu discurso, o deputado Betinho Gomes (PSDB-PE) elogiou a gestão Campos.

 

No final do governo de Eduardo Campos, o PSDB tornou-se aliado em Pernambuco. No campo nacional, o PSB apoiou a candidatura de Aécio no segundo turno em 2014.

 

 

 

 

 

Zero Hora