PT e PSDB começam a protagonizar "guerra suja" na internet com trocas de agressões

PT e PSDB começam a protagonizar "guerra suja" na internet com trocas de agressões

Os apoiadores do projeto reeleitoral de Dilma pretendem tomar medidas judiciais contra o grupo que disseminou nas redes sociais os boatos de que Fábio Luís Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, é dono de fazendas e sócio da Friboi, do grupo JBS.

Adversários na disputa presidencial, PSDB e PT vão travar na Justiça o que ambos estão chamando de "guerra suja na internet". Ou, a depender dos últimos episódios, a "guerra do endereço IP", número de registro de computadores que ajuda a identificar de onde saem perfis falsos e boatos.

Um inquérito aberto no 78.º Distrito Policial de São Paulo, que corre em segredo de Justiça, investiga se Daniel Graziano, filho do ex-ministro Xico Graziano, coordenador de redes sociais da pré-campanha de Aécio, tem participação no episódio. Ele foi um dos seis intimidados e prestou depoimento no fim de abril, depois que os advogados de Fábio Luís rastrearam o IP de onde partiram os boatos.

Os boatos foram disseminados a partir do site Observador Político, do Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC), do qual Daniel Graziano é gerente administrativo.

Em postagens que se propagaram no Facebook, o filho de Lula é apontado como dono de um jatinho de US$ 50 milhões, uma grande fazenda no interior do País e acionista controlador do frigorífico da JBS. A suposta fazenda exibida na internet como sendo de Fábio Luís é, na verdade, a sede da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" da Universidade de São Paulo (Esalq - USP), localizada em Piracicaba (SP).

"Imagine se tivessem surgido no computador do filho do Lula no instituto do ex-presidente rumores de que a filha de Aécio é sócia da Friboi?", questiona o advogado Marco Aurélio Carvalho, coordenador jurídico do PT. Ele afirma que está acompanhando "com especial atenção" o caso e que também pode levar o caso ao TSE e ao Ministério Público.

"Espero que a vontade de investigar não seja seletiva. Pau que bate em Chico tem que bater em Francisco." Para o deputado estadual Alencar Santana, do PT de Guarulhos, os dois casos têm "a mesma proporção". "O caso aqui de Guarulhos está superado. A prefeitura vai abrir um sindicância", disse.

Procurada pelo Estado, a Fundação Fernando Henrique afirmou que foi o comentário de um internauta que motivou o "caso em questão" e que os boatos sobre o filho de Lula "não expressam a opinião da instituição".

Versões
Em outro capítulo da "guerra virtual" entre tucanos e petistas, o estudante Jeferson Monteiro, dono do perfil "Dilma Bolada" nas redes sociais, afirmou que foi assediado para trabalhar na campanha presidencial de Aécio. A página criada por ele ficou famosa na internet pelas sátiras feitas a Dilma e pelas piadas com os adversários.


AE