PSTU emite nota chamando atenção para agressão verbal em debate

PSTU emite nota chamando atenção para agressão verbal em debate
O debate na TV Master, entre os candidatos ao Governo da Paraíba, continua dando o que falar. Marcado por acusações mútuas e troca de farpas, dessa vez a queixa vem do PSTU, partido de extrema esquerda, que acusa o governador Ricardo Coutinho (PSB), candidato à reeleição, de ter perdido a compostura e agredido verbalmente o candidato Antonio Radical.
 
A atitude teria acontecido logo após Radical perguntar a Ricardo sobre a origem dos financiamentos de sua campanha e pedir ao governador explicações sobre a máquina pública estadual e o fechamento de escolas no estado. Com o microfone desligado, Ricardo teria proferido um impropério, ao qual o candidato do PSTU pediu que fosse repetido no ar, sem que fosse atendido. Mas nas redes sociais, a repercussão do palavrão fora imediata.
 
Veja, a seguir, a íntegra da nota: 
 

"Nota da direção estadual do PSTU sobre a agressão a Antonio Radical

 
Há quatro anos a Paraíba espera ansiosa por um desenvolvimento de 40 anos em 4. Porém, o que assistimos é perseguição aos servidores públicos estaduais, obras inacabadas, reajustes salariais ridículos e muitas placas anunciando obras que nunca se iniciam. Além disso, os/as trabalhadores/as enxergam um governante autoritário, centralizador e arrogante, apesar deste ter vindo dos movimentos sociais.
 
      No recente debate promovido pela TV Master, no dia 31 de julho do corrente ano, esta face do governador Ricardo Coutinho revelou-se mais uma vez para aqueles e aquelas que querem perceber. Perguntado por Antonio Radical a respeito dos gastos de campanha e, consequentemente, sobre os seus financiadores durante o período eleitoral, além de ter sido questionado sobre o inchaço na máquina pública estatal e a respeito do fechamento de mais de 300 escolas em todo o Estado, o governador Ricardo Coutinho perdeu toda a compostura que se exige de um chefe de Estado e agrediu verbalmente o candidato do nosso partido.
 
      O ataque do governador Ricardo Coutinho revela um lado que todo trabalhador conhece muito bem, quando ousa questionar os patrões e os governos, reivindicando seus direitos. A resposta destes é sempre a mesma: ameaças e truculência. Porém, sempre haverá entre nós aqueles e aquelas que não se calarão diante disso e, ao contrário, estarão à disposição de nossa classe para chamar todos e todas para se organizar junto conosco e banir do mundo a exploração e a opressão."