Protestos contra novo governo têm caráter antidemocrático, diz Temer

Protestos contra novo governo têm caráter antidemocrático, diz Temer

Efetivado no cargo há três dias, o presidente Michel Temer afirmou neste sábado que as recentes manifestações contra seu governo são promovidas por "grupos mínimos" e têm caráter antidemocrático. "O tal do fora Temer, tudo bem. É um movimento democrático, mas a depredação é algo que é delituoso", declarou em entrevista na China.

Perguntado se os protestos comprometiam o início de seu governo, Temer insistiu no que considera o caráter inexpressivo das manifestações. "As 40 pessoas que estão quebrando carro? Precisa perguntar para os 204 milhões de brasileiros e para os membros do Congresso Nacional que resolveram decretar o impeachment", disse em entrevista a jornalistas brasileiros. "O que preocupa, isto sim, é que se confunde o direito à manifestação com o direito à depredação." Na sexta-feira, ocorreram manifestações em dez Estados contra o governo Temer e o impeachment de Dilma. Em São Paulo, cerca de 400 pessoas participaram do quinto dia de protestos contra a destituição da petista. A manifestação foi pacífica, mas terminou com oito prisões depois que um grupo de black blocs depredou pontos de ônibus e quebrou vidros de concessionárias de carros.

O presidente disse ser "mais do que natural" que seu governo não tenha "apoio" neste momento, mas em seguida atribuiu o fato ao desconhecimento da população em relação aos ocupantes da presidência e da vice-presidência. Temer também considerou previsível a realização de manifestações, considerando o momento "politicamente mais complicado" gerado pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Mas o presidente disse esperar que a oposição diminua. "Pacificar no primeiro dia é absolutamente impossível", declarou. "Isso com o tempo se dará, não tenho a menor dúvida disso."

 

 

IG