Promotor federal declara que Andaime chegou aos gestores e manda recado. Vídeo!

Promotor federal declara que Andaime chegou aos gestores e manda recado. Vídeo!

 

Em entrevista coletiva à imprensa, na sede do Ministério Público de Cajazeiras, as autoridades do estado deram detalhes da força-tarefa realizada nesta-feira (18), para cumprimento de sete mandados de prisão preventiva, 27 mandados de busca e apreensão e cinco conduções coercitivas nos municípios de Cajazeiras, Monte Horebe, Bonito de Santa Fé e Uiraúna.

 

A força-tarefa da Operação Andaime III foi constituída pelo Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual (Gaeco), Polícia Federal, Controladoria-Geral da União e Polícia Militar, que acabou com seis pessoas presas, são elas: Mário Messias Filho, já preso pela PF, Francisco Antonio Fernandes de Sousa (Antonio Popo), Francisco Moreira Gonçalves (Didi da Licitação), Erivaldo Jacó de Sousa, a prefeita Cláudia Aparecida Dias (PSB) e o esposo dela, Fabio Barreto Ferreira. Eloizio Dias Guarita não foi preso porque não estava na sua residência.

Gaeco
O coordenador do Gaeco, Octávio Neto explicou que as medidas foram do Tribunal de Justiça, comemorou o êxito da terceira fase da Andaime na região do Sertão da Paraíba e alertou que os ‘esforços’ não terminaram nesta quinta-feira e caçada aos fantasmas vão continuar.

Octávio Neto pediu ajuda da população no sentido de denunciar as irregularidades do seu município para as investigações ganhem mais força. “Pedimos o apoio da população porque sem ela é muito difícil. Pedimos que a população procure o Ministério Público Estadual, pois a partir de elementos de prova a Operação Andaime vai continuar e terá outras fases”, argumentou o coordenador do Gaeco.

Coletiva sobre Operação Andaime no Sertão.

Ele afirmou que 83 municípios estão envolvidos, pois as investigações convergiram durante outras operações, que estuda a metodologia de contratação de empresas fantasmas em processo de contratação e pagamento na Paraíba. “Tem muitas empresas fantasmas”

 

MPF
O procurador do MPF de Sousa, Thiago Misael Martins declarou que o lhe foi mais perguntado sobre a Operação Andaime foi quando a investigação chegaria aos gestores municipais e respondeu: “Pois bem, ela chegou”.

De acordo com o procurador, esta é a primeira vez que a investigação chega ao gestor municipal para responsabilizá-lo de crimes cometidos através de empresas fantasmas e assegurou: “As ações serão adotadas com relação aos gestores municipais”.

Quanto a outros gestores envolvidos, Thiago Martins disse que não pode revelar nada a respeito, mas adiantou: “Diria que existem dezenas de outras investigações em relação a Operação Andaime”. Ele revelou que dos 10 presos na primeira fase, nove conseguiram habeas corpus, estão em liberdade e ficou somente o construtor Francisco Justino, delator da operação que está em prisão domiciliar.

O promotor explicou que na 2ª fase da Andaime está preso o empresário Mário Messias, acusado de conturbar o andamento das investigações.

 

 

 

Diário do Sertão