Professores da UFPB fazem nova rodada de assembleia para avaliação do movimento

Professores da UFPB fazem nova rodada de assembleia para avaliação do movimento

Os professores da UFPB fazem nova rodada de assembleias nesta quinta-feira (9 de julho). Em pauta: informes, avaliação do encontro dos Servidores Públicos Federais com o Ministério do Planejamento e encaminhamentos.

Haverá assembleia, a partir das 9h, nos campi de João Pessoa (no auditório da Reitoria) e Bananeiras (na secretaria adjunta da ADUFPB).

A assembleia de João Pessoa reúne também os professores dos campi IV (Litoral Norte) e V (CTDR, em Mangabeira), além dos docentes da unidade do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) de Santa Rita.

Os docentes da UFPB estão em greve desde o dia 28 de maio por melhores condições de trabalho e recomposição das perdas salariais, entre outros pontos. Na terça-feira, foi realizada em Brasília uma nova mesa de negociação do Fórum dos Servidores Públicos Federais com o Ministério do Planejamento, que não apresentou nova proposta e insistiu no reajuste parcelado em quatro anos que não cobre a inflação.

Sérgio Mendonça, Secretário de Relações de Trabalho no Serviço Público do MPOG, iniciou a reunião questionando qual era a resposta dos servidores à proposta de reajuste apresentada no último encontro, de 21,3% parcelados em quatro anos, 5,5% em 2016, 5% em 2017, 4,75% em 2018 e 4,5% em 2019. A resposta foi unânime: as assembleias das categorias rechaçaram o reajuste proposto e também qualquer possibilidade de parcelamento.

Em resposta, o SRT-MPOG pediu que os servidores fossem “criativos”, e que tentassem trabalhar em cima da proposta colocada. Os servidores reafirmaram a luta pelo reajuste de 27,3% em 2016, sem parcelamento, e que também querem debater com o governo os oito demais itens da pauta de reivindicações, como benefícios e a Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

 

 

 

Ascom Adufpb