Professores da UFCG paralisam atividades por 24h e mantêm indicativo de greve

Professores da UFCG paralisam atividades por 24h e mantêm indicativo de greve

Os professores da UFCG aprovaram nesta quinta-feira (27), durante uma assembleia geral da Associação dos Docentes da instituição – ADUFCG, um indicativo de greve sem data. Os professores reivindicam a reestruturação da carreira de funcional, melhores condições de trabalho, autonomia universitária e valorização profissional.

A aprovação do indicativo de greve foi tomada após realização de uma avaliação de conjuntura, onde foram colocados os resultados da última reunião da direção do Sindicato Nacional da categoria, o ANDES-SN e dirigentes do Ministério da Educação, na manhã de ontem (26/03), como também o andamento da campanha salarial 2014 conjunta dos servidores públicos federais.

No encontro, o MEC informou ao ANDES-SN que o secretário de Ensino Superior do Ministério da Educação (Sesu/MEC), Paulo Speller, está autorizado a discutir com a entidade a reestruturação da carreira docente, a partir de questões conceituais.

“A discussão conceitual da carreira é primordial para nós, mas precisamos ter definido um calendário com início, meio e fim do processo. Vale lembrar que esse é um dos temas, mas temos outros três que resumem a nossa pauta e sobre os quais precisamos ter respostas”, disse a presidente da entidade, Marinalva Oliveira. Ela também lembrou que só a força da mobilização da categoria garantirá que o governo cumpra qualquer acordo que resultar desse processo.

Dentro ponto de pauta da assembleia que discutiu a decisão do reitor de promover a adesão administrativa da UFCG a Ebserh, os professores deliberaram o apoio a várias iniciativas das entidades estudantis e do Fórum em Defesa do SUS, entre elas a realização de uma paralisação de 24 horas na próxima semana, com data a ser ainda definida, como também o apoio ao acampamento em frente a Reitoria que será montado a partir de hoje a noite.

A assembleia também deliberou uma moção de solidariedade aos estudantes agredidos no interior da Universidade Federal de Santa Catarina pela Polícia Federal a mando da Reitoria da Instituição.