Produção de petróleo bate recorde em setembro, diz ANP

Produção de petróleo bate recorde em setembro, diz ANP

A produção de petróleo e gás natural no País chegou a 2,92 milhões de barris de óleo equivalente (BOE) em setembro. O resultado, segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) é o maior já registrado, superando em 0,1% o volume de agosto. De acordo com a agência reguladora, a produção no pré-sal também bateu novo recorde, chegando a 648 mil barris de óleo equivalente por dia. O resultado é 0,2% superior ao registrado em agosto.

De acordo com a ANP, apenas a produção de petróleo teve alta de 1,4% em relação a agosto, somando 2,358 milhões de barris diários. Já a produção de gás teve queda de 2,2% em relação a agosto, somando 88,9 milhões de metros cúbicos produzidos por dia. Ainda assim, a produção de gás supera em 13,8% o volume registrado no mesmo mês de setembro de 2013.

No pré-sal, foram produzidos 533 mil barris diários de óleo e 18,3 milhões de metros cúbicos de gás por dia. A produção foi registrada em 35 poços nos campos de Lula, Jubarte, Sapinhoá, Baleia Azul, Baleia Franca, Barracuda, Caratinga, Marlim Leste, Linguado, Pampo, Trilha e Itapu. Também foi registrada a produção oriunda do Teste de Longa Duração (TLD) no bloco BM-S-11, referente aos campos de Tupi e Iracema, na bacia de Santos.

A agência reguladora informou ainda que houve aproveitamento de 95,6% do gás natural produzido, sendo que o volume queimado em setembro foi de 4 milhões de metros cúbicos por dia. O resultado apresenta alta de 44,7% em relação ao mesmo mês de 2013, segundo a ANP, em função da realização do TLD no bloco BM-S-11, além de "problemas operacionais" na plataforma P-58, ligada ao campo de Baleia Azul, Baleia Franca e Baleia Jubarte, no Parque das Baleias.

Ainda segundo a ANP, o maior campo produtor de petróleo foi Roncador, na Bacia de Campos, com média de 299 mil barris por dia. Já o maior produtor de gás natural foi o campo de Lula, na bacia de Santos, com média diária de 8 milhões de metros cúbicos. A principal plataforma em operação foi a P-52, ligada a 14 poços, que produziu uma média de 130,8 mil barris de óleo equivalente por dia.


 

Estadão