Procuradoria deve pedir 'exceção de suspeição' de conselheiro e ex-presidente do Tribunal de Contas

Procuradoria deve pedir 'exceção de suspeição' de conselheiro e ex-presidente do Tribunal de Contas

A Procuradoria Geral do Estado deve impetrar uma ação de exceção de suspeição contra o conselheiro Fernando Catão, ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado. Segundo denúncia, o membro do TCE teria autorizado o envio de informações ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ação que poderá induzir a Corte em “erro” por ocasião do julgamento do processo contra o governador Ricardo Coutinho (PSB).

O advogado Fábio Brito, representante da coligação “A Força do Trabalho”, encabeçada pelo então candidato à reeleição Ricardo Coutinho; alega que as únicas informações que solicitadas até agora por parte do TCE dizem respeito ao período eleitoral. Ou seja, referente única e exclusivamente a 2014.

“Estamos aqui tratando apenas da questão eleitoral, pois esse assunto é da orçada da Procuradoria Geral do Estado”, disse o advogado Fábio Brito se referindo a ação que deverá ser impetrada pela Procuradoria Geral do Estado, cujo chefe dos procuradores é Gilberto Carneiro. Ele ainda não se pronunciou acerca do assunto.

O secretário estadual de Comunicação, jornalista Luís Torres, também emitiu uma opinião sobre o assunto: “A Procuradoria pensa em ajuizar pedido de suspeição no TCE para que o julgamento de alguns casos não sirva de extensão do escritório do senador Cássio Cunha Lima”, disse.

O conselheiro Fernando Catão, ex-presidente da Corte de Contas do Estado, é tio do senador Cássio Cunha Lima.

 

 

 

 

Marcone Ferreira