Prisão de suspeitos de ligação com o Estado Islâmico no Brasil repercute na imprensa estrangeira

Prisão de suspeitos de ligação com o Estado Islâmico no Brasil repercute na imprensa estrangeira
O anúncio do Ministério da Justiça, nesta quinta-feira (21), sobre a operação da Polícia Federal que prendeu dez brasileiros suspeitos de ter ligação com o Estado Islâmico, a duas semanas do início da Olimpíada do Rio, repercutiu na imprensa internacional.  Essas foram as primeiras prisões no Brasil por suspeita de ligação com o grupo terrorista, que atua no Oriente Médio, mas que tem cometido atentados em várias partes do mundo.
 
A correspondente do canal americano CNN, no Rio de Janeiro, Shasta Darlington, falou sobre a grande movimentação de tropas policiais na cidade – que realizava treinamentos antiterrorismo - e que o governo anunciou a intensificação da segurança para os Jogos.  O canal ressaltou o caráter aparentemente amador e sem preparação do grupo formado no Brasil, revelado pelo Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

 

A rede britânica BBC destaca que os presos brasileiros não são membros efetivamente do Estado Islâmico, mas que tentaram contato com o grupo. A matéria também diz que apesar da apreensão mundial pelas Olimpíadas no Brasil, motivadas principalmente pelo atraso nas obras, zika e a crise política, o país recebeu recentemente o aval do Comitê Olímpico para receber os jogos.
 
O jornal britânico "The Guardian" também noticiou a prisão e ressaltou relembrou a descoberta do Ansar al-Khilafah Brazil, um canal brasileiro no aplicativo de mensagens Telegram com ligação com EI.
 
O "El Pais", da Espanha, destacou a tentativa de compra de uma arma AK-47 pela internet por um dos investigados e o perfil de risco dos suspeitos: “brasileiro, recém-convertido ao Islã, frustrado pelo tom pacifista das mesquitas do país, buscando propaganda radical do Estado Islâmico na Internet.



 

g1