PRF apreende 24,5t de maconha, a maior da história no país

PRF apreende 24,5t de maconha, a maior da história no país

Após pesagem, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que 24,5 toneladas de maconha foram apreendidas na rodovia BR-487, no distrito Porto Camargo, em Icaraíma, no noroeste do Paraná.  De acordo com a PRF, é a maior apreensão de droga feita em toda sua história no país. A apreensão foi feita na segunda-feira (23), e a pesagem foi concluída no começo da madrugada desta terça-feira (24).

Ainda conforme a polícia, a maior apreensão havia sido registrada em 2010, quando 21,5 toneladas de maconha foram apreendidas em Santa Terezinha de Itaipu, no oeste do Paraná.

Na apreensão feita em Icaraíma, a maconha estava escondida em meio a uma carga que era transportada por um caminhão bitrem. À polícia, o motorista disse que carregou o veículo em Amambai (MS) e deixaria o caminhão próximo a Paranavaí.

Os policiais rodoviários federais suspeitaram da carga após examinarem a nota fiscal entregue pelo condutor. No documento, constava que o caminhão deveria transportar soja. Todavia, ao abrir a lona da carreta, grãos de milho começaram a cair no chão.

Nesse momento, os cães farejadores da PRF foram acionados para averiguar a carga. Dois deles atestaram a possibilidade de haver drogas na carreta. Ao mexer no milho, os policiais logo encontraram a carga de maconha.

O motorista reconheceu que sabia da droga e acabou preso. Ele disse que esperou começar a chover para tentar passar pelo posto de fiscalização da PRF. Ele acreditava que nenhum agente estaria na pista.

O caminhão com a droga foi levado para a cidade de Guaíra, no oeste do Paraná, onde a carga será analisada em detalhes na delegacia da Polícia Federal.

Tática repetida
Há duas semanas, no dia 11 de novembro, a PRF encontrou cerca de 6,5 toneladas de maconha em outra carreta. A apreensão aconteceu na cidade de Bauru, em São Paulo. A droga também estava escondida sob uma carga de milho. Dois homens, de 30 e 40 anos, estavam na cabine do caminhão.

Os dois foram parados ao apresentarem nervosismo quando viram os policiais. Ao serem presos, disseram que a maconha seria entregue na cidade de Amparo, também em São Paulo. Segundo os dois, a droga foi carregada na cidade de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

 

 

G1