Presidente do TSE diz que “não há possibilidade de fraude” na votação

Presidente do TSE diz que “não há possibilidade de fraude” na votação

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Dias Toffoli, participou na manhã deste sábado (25) da cerimônia de verificação dos softwares que farão a totalização dos votos no segundo turno das eleições.

Foram conferidos os sistemas que fazem a conexão entre todas as urnas eletrônicas, os Tribunais Regionais Eleitorais e o TSE para o envio dos resultados apurados em cada uma das seções eleitorais.

Segundo ele, “não há qualquer possibilidade de fraude”. “Isso [essa checagem] significa que há garantia de que aquilo que foi votado na urna eletrônica é o que está totalizado”, afirmou.

A verificação foi feita em um evento realizado na sede do TSE, em Brasília, na presença do vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, do secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinícius Furtado Coêlho, e representantes de alguns partidos, como o PDT e o PT.

No domingo (26), assim que for encerrado o período de votação, às 17h, no horário local, o sistema de cada seção enviará eletronicamente um conjunto de arquivos para os servidores dos tribunais regionais, incluindo o resultado apurado, o número de ausentes e informações técnicas referentes à votação.

O presidente do TSE explicou também que, ao término da votação, são emitidos vários boletins de urna, que são entregues aos fiscais dos partidos, o que permite conferir o dado da totalização separadamente por seção eleitoral.

Na cerimônia, também foi feita uma checagem de que os sistemas instalados nos equipamentos da Justiça são os mesmos lacrados e assinados eletronicamente em setembro pelo próprio ministro Dias Toffoli, o procurador-geral eleitoral Rodrigo Janot, e representantes dos partidos e coligações.

“É a conferência das assinaturas que estão nos sistemas e nos programas de transferência dos dados, desde a urna eletrônica para os TREs e dos TREs para a totalização no Tribunal Superior Eleitoral”, disse Toffoli.

G1