Presidente do PSB de Campina Grande convoca reunião na Capital para enquadrar vereadora dissidente

Presidente do PSB de Campina Grande convoca reunião na Capital para enquadrar vereadora dissidente

Esta semana a vereadora do PSB Ivonete Ludgério abriu uma dissidência no partido na Câmara Municipal de Campina Grande. Dos dois vereadores que compõem a bancada socialista na Casa de Félix Araújo, apenas Murilo Gaudino manteve o apoio à reeleição do governador Ricardo Coutinho. Ivonete que é esposa do deputado Manoel Ludgério (PSD), e lidera a base governista na CMCG já declarou que só vai se posicionar após o processo eleitoral.

Entretanto, como Manoel Ludgério rompeu recentemente com RC e voltou para o ninho tucano, é provável que a vereadora também vote no candidato do PSDB. Após tomar conhecimento das declarações de Ivonete, publicada ontem no PBAgora, o presidente municipal do PSB Fábio Maia convocou uma reunião com a executiva municipal para a próxima sexta-feira (11h), na sede do partido (rua Solon de Lucena, centro). A pauta é explicita e considerada inadiável: postura da bancada no Legislativo campinense diante da nova conjuntura política; participação da bancada no processo eleitoral; defesa da gestão estadual. Nas entrelinhas, Fábio Mia deixou claro que pretende pressionar a vereadora campinense Ivonete Ludgério a se manter fiel ao partido.

Em entrevista essa semana na Rainha da Borborema a vereadora Ivonete Ludgério (PSB) disse que não iria participar das eleições deste ano, assumindo assim, uma postura dissidente: “Eu não vou participar como candidata nas eleições deste ano, estou filiada ao PSB, mas faço parte da dissidência do partido. Permanecerei sendo a líder do governo de Romero Rodrigues na Câmara de Campina Grande, enquanto meus colegas assim desejarem”, revelou a vereadora socialista.

Antes do rompimento oficial da aliança entre o PSDB e o PSB o deputado estadual Manoel Ludgério, ex-secretário de Estado do Desenvolvimento e Articulação Municipal, e sua esposa da Ivonete Ludgério (PSB) defendiam que votariam no governador Ricardo Coutinho nas eleições deste ano. Com o rompimento de Rômulo Gouveia que preside estatualmente o PSD no Estado Manoel mudou o discurso e voltou para o “aconchego” do ninho tucano.


PBAgora