Presidente do CRM diz que Paraíba não está preparada para tratar casos de Ebola

Presidente do CRM diz que Paraíba não está preparada para tratar casos de Ebola

Com o anúncio do primeiro caso suspeito de ebola no Brasil, as autoridades começam a se mobilizar. Em entrevista ao ClickPB, o presidente do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), João Medeiros, disse que a Paraíba não está preparada para receber pacientes com sintomas da doença.

De acordo com o presidente do CRM, o estado não tem uma equipe que tenha treinamento especial para atender casos do tipo. "Não estamos preparados, o estado tem dificuldades na saúde básica e esse tipo de doença requer cuidados especializados, não temos equipes treinadas", disse o médico.

O presidente do CRM disse ainda, que apenas dois hospitais no estado poderiam receber paciente com suspeitas do ebola, que seria o Hospital Universitário Lauro Wanderley e o Clementino Fraga, por serem especializados em atender doenças infecto contagiosas. "No entanto, eles não possuem equipamentos apropriados para uso em pacientes e para equipe que fossem tratar a doença".

Já conforme nota da secretaria de saúde da Paraíba, o estado está preparado para atender possíveis casos de infecção pelo ebola. O Samu já recebeu qualificação e em caso de um paciente com suspeita do vírus, a Anvisa vai informar ao Estado.

"E já estão programadas qualificações para as UPAS de Santa Rita, Valentina, Manaíra, para o Hospital Edson Ramalho, Ortotrauma, Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena, Samaritano e Hospital da Unimed", informou a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Renata Nóbrega.

O ebola é transmitido pelo contato com sangue, saliva e outros fluidos de pessoa ou animal contaminado. A doença é caracterizada por febre, fraqueza intensa e outros sintomas. De acordo com a OMS, o vírus mata em média 50% dos pacientes contaminados.