Prefeituras paraibanas correm risco de ter água cortada se não negociarem débitos

Prefeituras paraibanas correm risco de ter água cortada se não negociarem débitos

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) suspendeu o corte de água que estava previsto para esta quinta-feira (28) na Prefeitura de Campina Grande. A suspensão ocorreu porque a PMCG procurou a Cagepa nesta quarta-feira (27) e agendou uma reunião para esta sexta-feira (29), às 9h. O diretor Comercial da Cagepa, Marinaldo Gonçalves, vai até Campina Grande. No entanto, caso não haja acordo, a prefeitura ainda pode ter sua água cortada. O débito da Prefeitura campinense é de R$ 60 milhões. 

O município de Santa Rita, que teve a água cortada nesta terça-feira (26), teve o abastecimento religado ontem, em função da negociação de parte da dívida, inclusive com valores a serem creditados na conta da Cagepa nesta sexta-feira (29) como entrada do parcelamento. O débito da Prefeitura de Santa Rita é algo em torno de R$ 14,5 milhões.

Outras cidades também correm o risco de ter a água cortada por inadimplência. De acordo com a Cagepa, estão nesta situação cidades como Salgado de São Félix, Itabaiana, Pilar, Malta, Condado, Bayeux, Rio Tinto, Imaculada e Duas Estradas. 

"Entretanto, após serem notificadas pela Cagepa, essas prefeituras já acionaram a Cagepa e se prontificaram a negociar os débitos", informou a empresa. 
 
O montante total das 102 prefeituras em débito com a Cagepa era de aproximadamente R$ 160 milhões, tendo cerca de 70% já procurado a empresa para negociação.

 

 

 

 

Click PB