Prefeito reclama que municípios estão 'pagando a conta' dos programas federais e pede apoio de RC

Prefeito reclama que municípios estão 'pagando a conta' dos programas federais e pede apoio de RC

O prefeito de Sousa, comentou em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação, após a audiência entre prefeitos e deputados na Assembleia Legislativa e pediu que o governador Ricardo Coutinho (PSB) seja aliado dos prefeitos na busca por liberação de recursos do Governo Federal.

“A situação dos municípios é muito difícil. Estamos passando por uma situação jamais vista e por todos nós hoje que estamos na gestão, o grande problema e gargalo da gestão pública hoje é o financiamento dos programas federais, os municípios é que estão financiando, pagando os PSFs, pagamento dos agentes de saúde e endemias, SAMU, Farmácia Básica e nosso FPM está servindo apenas para o complemento de folha, em vez de investimento e melhorias no sistema público”, afirmou.

De acordo com o gestor, os valores enviados pelo governo federal estão defasados. Ele apontou que com R$ 0,30 por aluno/dia não é possível pagar merenda boa, assim como o transporte que também fica na casa dos centavos. “A Farmácia Básica em Sousa recebeu R$ 29 mil para distribuir remédios para 68 mil pessoas, é inviável!”, reclamou.

O prefeito ainda apontou que corre o risco de ser condenado por improbidade administrativa devido a diminuição da receita anual e a Lei de Responsabilidade Fiscal que vai ficar alterada na questão do valor do investimento pago ao pessoal. “Estamos perto de ser condenados por improbidade administrativa por conta da diminuição do governo federa e isso vai dificultar nossas gestões, sem falar na crise política e hídrica. É uma situação muito difícil e complicada”, destacou.

Por isso os prefeitos se juntaram a FAMUP e Assembleia para preparar um documento que chegue às mãos dos deputados federais, senadores e a presidenta para que seja discutido o pacto federativo. “Precisamos de uma luz, sentar para discutir porque da mesma forma como estamos não somos sabedores do que acontecerá no próximo mês, não temos condições de planejar nossa gestão...”, pediu.

Gadelha ainda afirmou que os municípios estão sufocados e que pedem socorro ao governo federal. “Pedimos que nossa camisa e possa ser aliado dos prefeitos em defesa da população”, disse.

Esta semana o prefeito determinou que todas as atividades, menos as essenciais fossem paralisadas no município, e em cada secretaria colocasse uma faixa preta em sinal de luto pela crise financeira, que assola o Brasil.

 

 


Marília Domingues / Fernando Braz