Prefeito de Santa Rita denuncia esquema para afastá-lo do cargo

Prefeito de Santa Rita denuncia esquema para afastá-lo do cargo
O prefeito de Santa Rita, Netinho de Várzea Nova, denunciou hoje um suposto esquema engendrado para tirá-lo do cargo e citou o tesoureiro da Câmara, Fábio Cosmo e o presidente do poder legislativo, Anésio Miranda, como envolvidos na operação, bem como o vereador Josa de Nezinho. A trama, segundo ele, consistiria em sua deposição do cargo, através de uma intervenção ou da cassação, para que o presidente da Câmara ou um interventor assumisse.
 
"A Justiça vai tomar conhecimento de algumas imagens e alguns documentos que eu não conhecia. O que acontecer comigo e com a minha família daqui por diante a responsabilidade não é de Reginaldo Pereira, não. Ele também foi vítima de extorsão. A responsabilidade é da mesa diretora da Câmara de Santa Rita e eu vou mostrar quem é quem. Vou abrir o verbo. Todo mundo sabe que havia um jogo de cartas marcadas. Eles deveriam ter vergonha e ouvir o que o povo fala deles. Mas, toda regra tem exceção. Não estou falando de toda a Câmara de Santa Rita. Lá também tem mulheres e homens de bem, mas tem bandidos e se me provocarem, na Justiça, vou mostrar quem são", declarou o prefeito de Santa Rita.
 
O prefeito disse haver relações familiares dos interessados em sua saída do cargo. "Fábio Cosmo foi tesoureiro da gestão de Reginaldo, é atual tesoureiro da Câmara e oficial de justiça, o que não pode. Além disso, ele é esposo da ex-secretaria de Saúde, Ana Carla Palmeira. E Ana Carla é irmã de Jackeline, que é ex-companheira e mãe dos filhos de Josa de Nezinho, outro envolvido no esquema. Josa é ex-presidente da Câmara”, relatou. 
 
Já o secretário adjunto da Comunicação, Manno Costa, disse que há na prefeitura um computador com provas do esquema. “Tem uma pasta no computador da administração com todos os acordos entre Reginaldo e os vereadores. São propostas de R$ 30 mil e cargos na prefeitura oferecidos por Reginaldo Pereira (no tempo em que ele ocupava a prefeitura)”, denunciou.
 
O prefeito prometeu encaminhar todas as provas ao Ministério Público Estadual para que sejam tomadas as providências cabíveis.
 
 
 
 
 
 
Parlamento PB