Prefeito de Alhandra reafirma apoio a candidatura de Veneziano

Prefeito de Alhandra reafirma apoio a candidatura de Veneziano

O prefeito de Alhandra, Marcelo Rodrigues (PMDB) reiterou hoje (25) que apoiará a candidatura de Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) ao governo do estado nas próximas eleições, mas, admite que, na hipótese do candidato de seu partido não disputar o segundo turno, ele votará na reeleição do atual governador, Ricardo Coutinho. “Além de respeitar a decisão do partido de lançar candidatura própria, tenho especial carisma por Veneziano, de forma que não posso me furtar de apoiá-lo, caso ele seja o candidato do PMDB, mas, no segundo turno, se não estivermos na disputa, na hipótese do atual governador disputar com Cássio Cunha Lima, eu votarei em Ricardo”, afirmou o prefeito.

Em função de vir participando de eventos promovidos pelo governo do estado e de frequentemente se encontrar com o governador em missões oficias, algumas pessoas, levantaram a hipótese do prefeito de Alhandra vir a apoiar Ricardo já no primeiro turno, mas, o prefeito de Alhandra é enfático. “Apoiarei a decisão do meu partido e tudo caminha para que Veneziano seja o nosso candidato na majoritária. Eu sou filiado ao PMDB e devo seguir o que a maioria do partido decidir, no mais é fofoca e intriga da oposição. Veneziano ou qualquer outro candidato do partido terá meu apoio. Se formos para o segundo turno, também continuarei fechado com o PMDB, mas se não estivermos na disputa, ai vamos buscar o melhor candidato que estiver disputando para apoiar”, destacou Marcelo Rodrigues.

O prefeito de Alhandra justifica o apoio à Ricardo, num eventual segundo turno com Cássio, como uma chance para que o atual governador conclua as obras que iniciou no primeiro mandato. “Acho que é justo que o governador, que vem realizando grandes ações no estado, tenha a oportunidade de ficar mais quatro anos no governo para concluir as obras e ações que não dará tempo de finalizar até dezembro”, argumenta o prefeito de Alhandra, que exerce seu primeiro mandato.

Fonte:  Parlamento-PB