Populares cobram a não abertura da comporta do açude de Catingueira

Populares cobram a não abertura da comporta do açude de Catingueira

A possibilidade de abertura da comporta do açude Cachoeira dos Cegos em Catingueira foi tema de uma reunião na Câmara Municipal durante a noite da última terça-feira (08).

Populares lotaram o plenário da Casa para cobrar a permanência do fechamento do açude já que, depois de uma reunião realizada na cidade de Emas, foi cogitada fortemente a possibilidade de abertura da mesma.

Diversas autoridades locais participaram da sessão e se mostraram indignadas sobre o que estão classificando com “vergonha” que é a abertura da comporta.

O ex-prefeito Edivan Félix foi que teve o discurso mais inflamado da noite. Ele lembrou que a abertura da comporta tem caráter político e não beneficia toda a população de Emas já que a água não é para consumo humano e sim para um grupo de agropecuaristas da cidade que querem utilizar a água para irrigação. “Do jeito que está indo, mesmo que a comporta continue fechada e se não chover até Janeiro de 2014, em março, já não terá mais água para o povo de Catingueira beber” disse.

Edivan ainda se mostrou revoltado com os dados apresentados pela AESA (Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba) durante alguns meses deste ano onde mostra números que, segundo ele, “não condizem com a atual realidade do açude”.

“Em Maio, a AESA informou que o açude estava com 14.930.770 m³ de água (20.8% de sua capacidade). No mês de Junho este número caiu para 14.653.067 m³ (20,4%). Agora pasmem. No mês de Julho, o volume do açude aumentou para 15.937.424 m³ (22,2%) sem ter registrado chuvas no município. Já no mês de Agosto este volume permaneceu igual, (15.937.424) mesmo com o consumo por parte da população e da grande quantidade de carros pipas retirando água do açude. UMA VERGONHA” disse Edivan.

Um requerimento foi aprovado e será enviado as autoridades responsáveis para que seja tomada as devidas providências. A preocupação é com o baixo nível do reservatório já que existe a previsão de que a estiagem se prolongue até o final de 2014, comprometendo assim a qualidade da água para o consumo humano.

Recentemente, quando a comporta se encontrava aberta, o Diretor Executivo de Acompanhamento e Controle da AESA, Porfírio Loureiro, que por sinal é da cidade de Emas, enviou uma resposta a Câmara dizendo que “a vazão liberada pela comporta do açude necessária ao atendimento dos usuários à jusante, sendo que uma redução no volume liberado irá comprometer a garantia da água para os usuários localizados mais distantes da mesma”. 

 

Fonte: Catingueira Online