Polícia prende suspeito de campanha falsa para o Laureano

Polícia prende suspeito de campanha falsa para o Laureano

O trabalho investigativo da Polícia Civil da Paraíba resultou na prisão de mais um suspeito de estelionato, na noite dessa terça-feira (19), em João Pessoa. A ação foi realizada pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Capital, com a prisão em flagrante do vendedor Marcone Aroldo Paiva Torquato, 52 anos, que realizou uma falsa campanha de doações em nome do Hospital Napoleão Laureano. De janeiro até agora, 15 pessoas suspeitas de fraudes foram presas pela unidade policial especializada.

De acordo com o delegado Lucas Sá, titular da DDF, nessa ocorrência o próprio hospital denunciou que o material estava sendo divulgado nas redes sociais, com a solicitação de que valores fossem depositados em uma conta poupança da Caixa Econômica Federal. “Essa conta não era do Hospital. As equipes realizaram diligências para identificar o titular da conta e na qual estavam sendo feitos os depósitos. A delegacia confirmou ainda que as postagens em redes sociais estavam sendo amplamente divulgadas, confirmando o teor da denúncia apresentada”, explicou o policial.

Após a confirmação da fraude, equipes da unidade policial monitoraram a residência de Marcone Aroldo, sendo a prisão em flagrante realizada às 19h, no bairro do Rangel. Ele confirmou ter feito a campanha de doações e também que não foi repassada qualquer quantia para o hospital.

O vendedor foi preso em flagrante pelo crime de estelionato e não informou à Polícia a quantia arrecadada. “A Polícia Civil orienta a população que procure confirmar com as instituições a respeito de campanhas sociais, para garantir que os valores doados sejam realmente destinados aos verdadeiros necessitados. Qualquer conduta no sentido de obtenção de valores de maneira indevida, utilizando informações de instituições, empresas ou pessoas, pode caracterizar, em tese, a ocorrência do crime de estelionato, o que ensejará a responsabilização criminal de todas as pessoas beneficiadas com o repasse dos valores. As denúncias ou informações a respeito dos fatos informados ou de outras condutas similares pode ser feita pelo telefone 3218-5333, ou através do Disque Denúncia da Polícia Civil, o 197, serviço gratuito e que garante sigilo”, frisou o delegado Lucas Sá.

 

 

 

MaisPB