Polícia prende mais cinco envolvidos na expulsão de moradores de comunidade

Polícia prende mais cinco envolvidos na expulsão de moradores de comunidade

Foram presas mas cinco pessoas pela Polícia Civil da Paraíba na noite desta quinta-feira (26) pela Operação Esbulho, realizada pelo Grupo de Operações Especiais (GOE). A ação policial, que teve o apoio do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco/MPPB) do Ministério Público, já soma 15 envolvidos na expulsão de moradores de casas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, no bairro do Cristo, em João Pessoa, para a comercialização de drogas.

Mauricio José da Silva, 25 anos; Washington Oliveira dos Santos e Joanderson Neves Nunes foram presos por cumprimento de mandado de prisão também na comunidade Boa Esperança no início da noite DE quinta-feira (26).

De acordo com o delegado Allan Terruel, titular do GOE, Joanderson é suspeito da autoria de homicídios. Já Washington Oliveira é apontado como traficante. Um motorista de táxi também foi preso em flagrante, além de uma mulher.

“O motorista de táxi é também vigilante e deu fuga a pessoas que estavam sendo procuradas pela Polícia na manhã de ontem, quando a operação começou, e foram presas à noite. Ele também fazia o transporte dos traficantes no dia-a-dia, levando a droga. Com a mulher foi encontrada uma pistola calibre 38, maconha e ainda dinheiro”, explicou Terruel.

Dez mandados de prisão foram cumpridos na manhã da operação, entre eles o do apenado da Penitenciaria Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1), Djanilson Meireles de Lima, de 28 anos. “Ele estava preso por homicídio e seria a pessoa que chefiava o grupo. A operação foi muito importante porque prendeu todos os principais membros do tráfico na localidade, pessoas que guardavam as chaves das casas e outros que expulsavam os moradores”, explicou Terruel.

De acordo com as investigações, o esquema criminoso era coordenado de dentro do presídio por meio de ligações telefônicas ou informações repassadas pela mulher do apenado aos membros da quadrilha, que obrigavam as famílias a deixarem suas residências e depois revendiam os imóveis. Com dinheiro, os envolvidos compravam drogas para abastecer o tráfico em vários bairros de João Pessoa. Algumas casas também eram usadas pelos criminosos como ponto de venda de entorpecentes na comunidade. A polícia acredita que pelo menos 30 famílias teriam sido vitimas destes criminosos.

Todos os acusados foram ouvidos, inclusive o apenado Djanilson. Os presos em flagrante foram encaminhados para o Sistema Prisional e aqueles por mandado de prisão estão na Central de Polícia, bairro do Varadouro, à disposição da Justiça.

 

 

 

 MaisPB