Polícia deflagra operação ‘Respeita Januário’ na Paraíba e Pernambuco

Polícia deflagra operação ‘Respeita Januário’ na Paraíba e Pernambuco

Foi deflagrada na manhã desta terça-feira (28), nas cidades de Exu e Moreilândia, no Sertão de Pernambuco, e em João Pessoa, na Paraíba, a ‘Operação Respeita Januário’. O objetivo é cumprir mandados de prisão, busca e apreensão e sequestro de bens contra integrantes de um grupo criminoso responsável pela prática de homicídios e tráfico de drogas.

A operação está sendo realizadas pela 202ª Circunscrição Policial da cidade de Exu, pertencente a 24ª Delegacia Seccional de Araripina. Participam da ação policial 70 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães e 100 policiais militares, com a utilização de cães farejadores.

Durante a ‘Operação Respeita Januário’ foram cumpridos 12 mandados de Prisão Preventiva, 32 mandados de Busca e Apreensão Domiciliar e um mandado de Sequestro de Bens contra integrantes de um grupo criminoso responsável pela prática de homicídios e tráfico de drogas.

“Já temos 12 pessoas presas. Foram apreendidas também três motos utilizadas em assaltos e uma quantidade de drogas, mas ainda não é possível dizer quanto porque o material não chegou na delegacia”, ressaltou o delegado Lamartine Lacerda.

Os presos e os materiais apreendidos foram encaminhados para a 24ª Delegacia Seccional em Araripina.

As medidas cautelares foram expedidas pelo Juiz de Direito, Rodrigo Fonseca Lins de Oliveira, da Vara Única da Comarca de Exu, em atendimento às representações da polícia Civil de Pernambuco.

De acordo com o delegado, o grupo era investigado há meses. “A delegada Lívia, titular de Exu, vinha investigando o grupo há mais de três meses. Ela estava trabalhando em cima dessas pessoas. E, seguindo o rastro de um homicídio, conseguiu desvendar os assaltos praticados pelos criminosos. Dentro do assalto ela viu que eles também praticavam o crime de tráfico de drogas”, disse.

Lamartine explicou ainda que entre os motivos dos homicídios iam desde rixas entre integrantes do próprio grupo, como também envolvendo dívidas de tráfico de drogas.

 

 

 

 

G1