Polícia confirma que Robin Williams se suicidou e morreu por asfixia

Polícia confirma que Robin Williams se suicidou e morreu por asfixia

O departamento de polícia de Marin County, na Califórnia, confirmou que o ator Robin Williams, encontrado morto em casa aos 63 anos nesta segunda (11), se suicidou e morreu por asfixia.

Quatro vezes indicado ao Oscar, Robin Williams ganhou a estatueta de melhor ator coadjuvante em 1998, pelo drama "Gênio indomável".

A polícia da cidade de Tiburon já havia dito que suspeitava de suicídio. Os investigadores disseram que Williams foi visto vivo pela última vez na noite de domingo (10). Ele estava em sua residência, em Tiburon, onde morava com sua esposa, Susan Schneider, e foi encontrado por sua assistente pessoal. Susan deixou sua casa na segunda de manhã para trabalhar. Enquanto esteve fora, a assistente de Robin bateu na porta, mas ninguém respondeu. Ela ficou preocupada porque o ator deveria estar lá. Então, entrou na casa e encontrou o corpo.

Luta contra a depressão
De acordo com a agente do ator, Mara Buxbaum, seu cliente estava lutando contra uma depressão severa. Ele já havia sido internado várias vezes em clínicas de reabilitação, por problemas com drogas, sendo a última vez em julho passado.

"Esta é uma perda trágica e repentina. A família respeitosamente pede privacidade para este período muito difícil", afirmou Mara. A esposa de Williams também divulgou um comunicado. "Perdi meu marido e meu melhor amigo, e o mundo perdeu um de seus mais queridos artistas e belos seres humanos. Eu estou totalmente inconsolável", disse.

"Em nome da família de Robin, pedimos privacidade durante esse período de profunda tristeza. Nossa esperança é que o foco não seja a morte de Robin, mas os inúmeros momentos de alegria e riso que ele deu a milhões de pessoas." Ele deixa três filhos, Zachary, Zelda e Cody.

Trajetória
Robin McLaurin Williams começou sua carreira em 1977, atuando na TV. Já demonstrando seu talento para a comédia, participou de diversos episódios do "The Richard Pryor show". Depois de ficar conhecido como o personagem Monk na série "Happy days", conquistou o sucesso também no cinema já com seu primeiro papel. Em 1980, interpretou o marinheiro Popeye, em filme de mesmo nome.

Além do destaque como comediante, Williams tem no currículo filmes que comoveram grandes plateias, como "Bom dia, Vitenã” (1987), "Sociedade dos poetas mortos" (1989), "Tempo de despertar" (1990), "O pescador de ilusões” (1991) e "Gênio Indomável" (1997), que lhe rendeu seu único Oscar.

Conhecido por privilegiar em suas escolhas comédias familiares, seu papel mais conhecido é, para muita gente ainda hoje, o de Sra. Doubtfire em "Uma babá quase perfeita" (1993). No filme, ele interpreta um ator irresponsável, proibido de ver os filhos, que se disfarça como uma babá idosa para se aproximar das crianças.

Outros sucessos junto ao público infantil foram "Jumanji" (1995) e "Flubber – Uma invenção desmiolada" (1997), e ainda filmes nos quais não apareceu em cena, mas emprestou a voz a personagens, como o Fender de "Robôs" (2005) e Ramon de "Happy feet" (2006).

Neste ano, o ator participou das filmagens de "Uma noite no museu 3", repetindo pela terceira vez o papel de Teddy Roosevelt. Também já havia anunciado que integraria o elenco de uma sequência de "Uma babá quase perfeita", mais de 20 anos após o primeiro filme.

Além de uma estatueta e quatro indicações ao Oscar, Williams acumulou outros prêmios importantes em sua carreira, como Globos de Ouro pelo musical "Mork & Mindy", em 1978; e pelos filmes "Bom dia, Vietnã", "O pescador de ilusões", "Aladdin" e "Uma babá quase perfeita". Teve ainda indicações ao Emmy e ao Bafta, entre outros. Em 2002, o ator se apresentou como comediante em shows de stand-up e chegou a fazer um espetáculo na Broadway, que foi transformado no DVD "Robin Williams: Live on Broadway".

 

G1