Polícia Civil da Paraíba alerta para golpe pelo WhatsApp

Polícia Civil da Paraíba alerta para golpe pelo WhatsApp
A Polícia Civil da Paraíba está fazendo um alerta para um novo golpe, feito por meio de aplicativos de mensagens no celular, como o WhatsApp. Segundo o delegado Lucas Sá, os criminosos clonam laptops ou aparelhos celulares para pedir dinheiro com urgência a amigos ou parentes dos proprietários dos equipamentos sem levantar suspeitas.
Na última terça-feira (5), o servidor público João Lopes foi vítima do golpe. Ele recebeu mensagens de um grande amigo no aplicativo WhatsApp, dizendo que precisava de dinheiro com urgência. Nas mensagens, o suposto amigo pedia que João transferisse um valor, prometendo devolver o dinheiro em espécie. 
"Era final de noite. Recebo uma mensagem no WhatsApp. Eu estava assistindo TV, olhei e percebi que era um grande amigo meu que costuma viajar. Ele havia me solicitado se eu tinha acesso ao banco via computador ou celular e se poderia fazer uma transferência para ele, de urgência, que ele estava necessitado", lembrou João.
Quem estava falando com João tinha o mesmo número, foto e histórico de conversas do amigo, mas era um golpista. Ele ainda tentou ligar para o amigo, mas não conseguiu e acabou transferindo R$ 1 mil.
"Quando nós conversávamos, a conversa que andava era a mesma que a gente tinha sempre. A pessoa que estava falando comigo tinha conhecimento de tudo que gente já tinha falado antes pelo WhatsApp”, explicou.
Ele só percebeu o golpe duas horas após ter feito a transferência, quando um outro colega ligou avisando que o telefone do amigo verdadeiro havia sido bloqueado e clonado e que alguém estava pedindo dinheiro no nome dele.
Na delegacia, João encontrou outras pessoas vítimas do mesmo tipo de golpe. “Tinha mais duas pessoas na espera. Duas pessoas esclarecidas. A gente pensa que a pessoa é boba. Eu tentei fazer uma ligação telefônica no celular primeiro, antes de fazer a transferência e dava desligado ou ocupado. A gente percebe que pessoas esclarecidas estão sendo vitimas desse golpe”, disse João.
O delegado Lucas Sá explicou que esse golpe é difícil de ser percebido pela vítima. “O objetivo da fraude é utilizar de informações indevidas, criar uma situação ilusória, uma situação de aparente vantagem, uma situação de necessidade e obter os valores. Então esse tipo de fraude é muito difícil de se prevenir. O que a vítima pode fazer é tentar buscar referências, entrar em contato com essa pessoa, antes de passar qualquer valor”, recomendou.
O autor do golpe ainda não foi localizado pela polícia. A Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa segue investigando o caso.





G1