Polícia apreende 52 quilos de drogas na Grande João Pessoa

Polícia apreende 52 quilos de drogas na Grande João Pessoa

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Capital, apreendeu, no fim de semana, em João Pessoa e Região Metropolitana, aproximadamente 52 quilos de drogas, entre maconha e crack. Sete pessoas foram presas e uma adolescente apreendida. As ações contra o tráfico de drogas foram realizadas no distrito de Jacumã, município do Conde, e ainda nos bairros do Cristo e Novaes, na capital. 

Nos primeiros quatro meses de 2014 já foram apreendidos pela DRE 385 quilos de drogas, o que supera a quantidade de entorpecentes retirada de circulação pela delegacia no ano de 2013, que foi de 384 quilos. Especificamente este ano foram apreendidos 342 quilos de maconha, 41 quilos de crack e dois quilos de cocaína.

De acordo com o delegado da DRE, Allan Murilo Terruel, a operação intensiva para coibir o tráfico na Região de João Pessoa começou na quinta-feira (1) no município do Conde, na comunidade Guruji, quando foram retirados de circulação cerca de 25 quilos de maconha e ainda dois quilos de crack. Os entorpecentes foram encontrados em poder do pedreiro Sebastião Galdino, 63, do filho dele, Joalisson dos Santos Silva, 25, e da nora Maria de Fátima Fernandes, 34. Todos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

A ação policial continuou na sexta-feira (2). De posse de informações sigilosas, à noite, os policiais conseguiram interceptar três pessoas na Comunidade Boa Esperança, no bairro do Cristo, em João Pessoa: Alexandre Rodrigues de Siqueira, de 20 anos, Natasha Sousa dos Santos, de 31, e Adriana da Silva Santos, de 22 anos. Na ocasião, a DRE apreendeu quatro quilos e meio de crack que estavam escondidos dentro de uma casa na localidade. A partir destes três presos, foi possível chegar a outras quatro pessoas, que escondiam entorpecentes também em uma casa, no Bairro dos Novaes. Jorge Luís da Silva, de 32 anos, Valéria Lúcia Silva de Azevedo, de 24, e uma adolescente de 13 anos, eram chefiados por um detento do Presídio Romeu Gonçalves Abrantes (PB1), Jeferson Alves dos Santos. Com o grupo foram apreendidos 21 quilos de crack, duas balanças de precisão e ainda um revólver calibre 38.

O delegado Allan Terruel revelou também que estas sete pessoas teriam sido contratadas para abastecerem pontos de venda de drogas em João Pessoa e na Região Metropolitana. “Os agentes conseguiram informações que esses entorpecentes estavam vindo do Rio Grande do Norte e do Sudeste para serem distribuídos em bairros da capital, principalmente durante o fim de semana e também no último feriado, do dia 1º de maio. A maconha, por exemplo, descobrimos que veio do Paraguai e com a mesma finalidade, para ser distribuída em vários locais de João Pessoa e Santa Rita. O trabalho seria desenvolvido por esse grupo criminoso que foi desarticulado e preso. É bom destacar que Adriana da Silva Santos está sendo presa pela terceira vez por tráfico de drogas. Ela e Alexandre de Siqueira são parceiros e agem juntos em bocas de fumo em bairros da capital”, contou.

Segundo o superintendente da 1º Região Integrada de Segurança Pública (Reisp), Wagner Dorta, a ação foi pautada em um trabalho rigoroso de investigação e que resultou em uma apreensão importante de entorpecentes, garantindo a retirada de circulação do principal produto que financia a criminalidade, como a prática de homicídios. “Estes quatro primeiros meses de 2014, com os 385 quilos de drogas retirados de circulação, demonstram que a delegacia tem estratégia e tem comprometimento com a sociedade. O trabalho vai continuar e mais apreensões de entorpecentes virão e mais grupos criminosos serão desarticulados”, disse Wagner Dorta.

O delegado geral da Polícia Civil da Paraíba, Carlos Alberto Ferreira, também ressaltou o trabalho executado pela equipe da DRE em João Pessoa e Região Metropolitana. “Os policiais desta delegacia combatem o tráfico com rigor e mostram que só com um trabalho de investigação bem feito, articulado e bem coordenado é possível quebrar essa prática criminosa de venda e distribuição de drogas na Região de João Pessoa. A segurança pública é dever de todos. A DRE faz sua parte com essas apreensões e a sociedade também pode ajudar, denunciando, colaborando com o trabalho policial, para que mais criminosos possam ser presos”, finalizou.

Secom-PB