PMDB tinha que deixar o governo 'de qualquer maneira', diz Cunha

PMDB tinha que deixar o governo 'de qualquer maneira', diz Cunha

Após o PMDB decidir desembarcar oficialmente do governo federal, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta terça-feira (29) que o partido tinha que romper "de qualquer maneira" com o Palácio do Planalto, independentemente do resultado do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A decisão de sair do governo, com a entrega imediata de todos os cargos na esfera federal ocupados por peemedebistas e indicados, foi tomada em uma reunião do diretório nacional realizada nesta terça. Sob gritos de "Fora PT", a medida foi aprovada por aclamação entre os presentes, sem a contagem de votos.

“Acho que tem que separar muito bem a decisão do PMDB de sair, que eu defendo antes de ser protocolado o pedido de impeachment, da situação de que está saindo por causa de um processo de impeachment. O PMDB tinha que sair de qualquer maneira, tendo ou não tendo impeachment, passando ou não passando [o impeachment], o PMDB tem que buscar o seu caminho”, disse Cunha.

Um dos principais defensores do rompimento com o governo, o presidente da Câmara deflagrou o processo de impeachment no fim do ano passado. A comisso especial foi instalada no início de março para analisar o pedido de afastamento da presidente Dilma.

 

 

 

 

G1