PMDB muda o foco e admite Raimundo Lira para o governo em 2018, diz jornalista

PMDB muda o foco e admite Raimundo Lira para o governo em 2018, diz jornalista

Na tentativa de mudar o foco para a crise estabelecida com a manutenção da candidatura própria, ou não, à sucessão municipal de João Pessoa, o ex-presidente estadual do PMDB, Antônio Souza, movimentou as peças do tabuleiro do xadrez para 2018. Atualmente tesoureiro do partido, ele desviou o debate admitindo a possibilidade do senador Raimundo Lira concorrer o mandato de governador nas eleições de 2018.

Ele sabe que nunca isso acontecerá, porque a Paraíba não é a “praia” do senador Lira, cujas atividades empresarias está 99% de uma parte encontra-se em Brasília, onde une o útil ao agradável com a atuação política, hoje ocupando funções importantes no Senado, atraindo as atenções da mídia nacional e internacional no comando da comissão que trata do impeachment definitivo da presidente Dilma Rousseff.

Para os peemedebistas a discussão sobre 2018 é melhor do que 2016. Está mais fácil compreender o futuro. O presente parece não ter mais importância nenhuma, sobretudo por causa do enfraquecimento da pré-candidatura do deputado federal Manoel Júnior. “Temos o senador Raimundo Lira, que está terminando o mandato em 2018 e, fatalmente, vai ser candidato a governador ou ao Senado e, ainda, Veneziano, Hugo Motta e Manoel Júnior”, disse.

Para expor seu ponto de vista acerca da desistência da pré-candidatura, Souza parece combinar com a fala do senador e presidente estadual do partido, José Maranhão: “A candidatura de Manoel Júnior está posta e caberia só a ele dizer que desiste e pedir para o partido encontrar outra solução, pois ele vai sair do páreo, mais isso não tem acontecido”. É o mesmo que colocar óleo na pista que caminha Manoel Júnior.

 

 

 

 

Jornalista Marcone Ferreira