PM prende suspeito de balear duas crianças e apreende com ele mais de 5 kg de drogas em João Pessoa

PM prende suspeito de balear duas crianças e apreende com ele mais de 5 kg de drogas em João Pessoa
A Polícia Militar prendeu, no fim da manhã desta sexta-feira (9), o principal suspeito de atirar, no dia 18 de setembro, em duas crianças de 3 e 10 anos na comunidade Santa Clara, no bairro do Castelo Branco, em João Pessoa. Luciano Silva, de 28 anos, foi localizado no bairro do Varadouro e na casa dele a PM apreendeu mais de 5  kg de maconha e crack, além de munições de revólver. Contra o acusado, já tinha um mandado de prisão em aberto por causa do crime contra as crianças.
 
De acordo com o major Tibério Leite, comandante do Batalhão de Polícia Ambiental, a PM realizou vários levantamentos em conjunto com a Polícia Civil e descobriu que no dia do crime o suspeito teria ido matar uma pessoa envolvida com o tráfico de drogas. "Era uma questão de honra para nós da Polícia Militar prender o suspeito de balear os dois garotos até o dia das crianças e trazer essa resposta para a população da comunidade. Uma das crianças está hoje com a bala alojada na cabeça e a outra perdeu um dedo", contou.
 
No dia do crime, a criança de 3 anos foi atingida na cabeça depois que foi até a janela de casa para ver se o pai tinha chegado, já que ouviu um barulho de uma moto. A de 10 anos sofreu um disparo na mão enquanto brincava na frente de casa. As duas vítimas foram socorridas pelos próprios familiares para o Hospital de Emergência e Trauma da capital.
 
O acusado do crime foi apresentado na nova Central da Polícia Civil, no bairro do Geisel. O suspeito foi preso há 5 anos por porte ilegal de arma, mas passou apenas 15 dias no Presídio do Roger e foi liberado.
 
Operacão Criança Feliz - O Batalhão de Polícia Ambiental vai realizar, neste sábado (10), a operação criança feliz na comunidade Santa Clara, com a distribuição de brinquedos e roupas infantis para os filhos dos moradores da comunidade. As duas vítimas também serão presenteadas pelos policiais.
 
 

Assessoria