PGR pede que STF julgue “com urgência” denúncia contra Gleisi Hoffmann

PGR pede que STF julgue “com urgência” denúncia contra Gleisi Hoffmann

A Procuradoria Geral da República pediu urgência ao Supremo Tribunal Federal no julgamento da denúncia contra a senadora Gleisi Hoffmann e o marido dela, o ex-ministro Paulo Bernardo, ambos do PT.

A denúncia contra o casal de petistas foi apresentada no início de maio pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A acusação, no entanto, ainda não foi apreciada pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal – o que motivou a PGR a enviar um pedido ao tribunal para que julgue a denúncia com urgência. A informação foi publicada no jornal “O Estado de São Paulo”.

Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo foram acusados, no âmbito da operação Lava Jato, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Segundo as investigações, a petista teria recebido R$ 1 milhão em propina, desviada da Petrobras, para utilizar na campanha ao senado em 2010. Ela foi citada nas colaborações do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Eles disseram aos investigadores que repassaram o dinheiro a pedido de Paulo Bernardo, que na época, era Ministro do Planejamento.

Rodrigo Janot, afirmou, na denúncia, que delações da Lava Jato e provas obtidas ao longo do inquérito apontam indícios suficientes do envolvimento de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo em atos de corrupção e lavagem de dinheiro. A PGR também denunciou o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, que é muito próximo do casal.

A denúncia não tem relação com a prisão de Paulo Bernardo, que aconteceu em junho, durante outra operação da Polícia Federal, a Custo Brasil. Em nota, a defesa do casal negou todas as irregularidades e disse que a acusação é frágil e se baseia apenas em versões contraditórias de delatores.

 

 

 

 

Uol