PF prevê trazer Pizzolato até a segunda semana de maio

PF prevê trazer Pizzolato até a segunda semana de maio

O documento formal do governo italiano com a decisão sobre a extradição do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão petista, ainda é aguardado pela Polícia Federal.

A única informação oficial veio através da Interpol, que avisou ao governo daquilo que já se sabia pela imprensa: a extradição tinha sido aprovada na Itália.

Quando a documentação formal do governo italiano chegar ao Ministério da Justiça no Brasil, a PF deverá mandar um delegado e três agentes para buscá-lo. O ex-diretor do BB será trazido em avião de carreira, segundo informou ao Blog uma fonte envolvida na operação. 

Está descartada a possibilidade de trazê-lo esta semana. Uma reunião será realizada na Polícia Federal nesta terça-feira (28) para organizar os últimos detalhes do retorno de Pizzolato. A previsão é de que isso ocorra até a segunda semana de maio.

O Blog conversou com a deputada italo-brasileira Renata Bueno, representante da América do Sul no parlamento italiano, e ela explicou que ainda  existe um recurso possível. Todavia, ela não sabe se será usado pela defesa de Pizzolato.

Seria o recurso contra o ato administrativo de extraditá-lo, a decisão oficial do ministro da Justiça italiano, Andrea Orlando. O recurso teria de ser feito no TAR (Tribunal Administrativo Regional), mas, segundo ela, dificilmente seria acatado.

“A chance é mínima de ter alguma reviravolta. Para nós, o caso está encerrado. Falta agora o Brasil buscá-lo”, afirmou a deputada ao Blog.

 
 
 
 

G1