PF prende sete pessoas acusadas de desviar verbas do SUS para cirurgias cardíaca

PF prende sete pessoas acusadas de desviar verbas do SUS para cirurgias cardíaca

A Polícia Federal realiza, na manhã desta terça-feira (2), uma operação  com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que desviava verbas do Sistema Único de Saúde (SUS). Sete pessoas já foram detidas, cinco em Montes Claros, uma em Belo Horizonte e uma no Rio de Janeiro.  A ação denominada "Desiderato" acontece em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

Estão sendo cumpridos sete mandados de condução coercitiva, oito de prisão temporária, além de 21 mandados de busca e apreensão e 36 de sequestro de bens e valores.

  De acordo com a PF,  produtos pagos pelo SUS eram desviados por cardiologistas para fins particulares. Além disto, os médicos beneficiavam empresas fornecedoras de materiais hospitalares e recebiam propina em troca.

Ainda de acordo com a PF, a organização era formada por médicos, servidores do hospital e representantes de empresas de produtos médicos. Eles falsificam documentos para a realização de procedimentos cardiológicos sem necessidade dos pacientes. A investigação apontou que as próteses que não eram utilizadas nas cirurgias 'simuladas' eram desviadas e utilizadas em procedimentos nas clínicas de propriedade dos membros do grupo.

Segundo a polícia, a empresa produtora da prótese pagava ao grupo um valor alto pela compra de equipamentos e os médicos recebiam propinas que variavam de R$ 500 a R$ 1.000 por prótese. O grupo chegava a receber R$  110 mil por mês. Os prejuízos aos cofres públicos podem chegar a R$ 5 milhões apenas em Montes Claros. De acordo com a PF, o esquema era formado principalmente por empresários e médicos.

 

 

 

G1