PF investiga secretário da Receita por propina no Carf

PF investiga secretário da Receita por propina no Carf

A Polícia Federal grampeou com autorização judicial dois telefones do paraibano, Otacílio Dantas Cartaxo, secretário da Receita Federal entre 2009 e 2010. O ex-secretário estava envolvido com alguns investigados no esquema de propina no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), entre eles seu genro Leonardo Siade Manzar. A informações foi divulgada pelo Estadão deste sábado (4).

Cartaxo presidiu entre 2011 e janeiro deste ano o Carf, órgão responsável pelo julgamento de reclamações de contribuintes em débito com a Receita De acordo com as escutas feitas pela PF, lobistas e conselheiros negociam em favor de empresas suspeitas de pagar propina no órgão em troca de gestões do ex-secretário. O Estadão não conseguiu contato com outros investigados.

Uma das empresas indicadas na investigação está Gerdau, que teria negociado propina pela decisão favorável em caso que envolve dívida de R$ 4 bilhões. Os áudios também indicam que Cartaxo, após deixar a presidência do Carf, "passará a trabalhar na consultoria do seu genro, a SBS Consultoria".

O monitoramento dos telefones de Cartaxo foram realizados pela condição de presidente do Carf, segundo a PF. O genro do ex-secretário é apontado como um dos principais integrantes do grupo suspeito da venda de decisões. 

Operação Zelotes 

A Polícia Federal deflagrou no final de março deste ano a operação contra um grupo que atuava junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), manipulando o trâmite de processos e o resultado de julgamentos, proporcionando uma economia de bilhões de reais por parte das empresas autuadas em detrimento do erário da União.

Segundo a Polícia Federal, ao todo, foi realizado um desvio de R$ 19 bi da Receita. As investigações, iniciadas em 2013, apontaram o envolvimento de empresas devedoras ao fisco. No total, 180 policiais federais e 55 fiscais da Receita Federal estão cumprindo 41 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Ceará e no Distrito Federal.

 

 

 

Terra