Petrobras reconhece que pode incluir perdas com corrupção em balanço

Petrobras reconhece que pode incluir perdas com corrupção em balanço

A Petrobras reconheceu nesta quarta-feira (21) que poderá incluir, em seu balanço do terceiro trimestre, possíveis perdas resultantes das denúncias de corrupção investigadas pela Operação Lava Jato. A divulgação do resultado patrimonial já foi adiada por duas vezes e é esperada para o fim de janeiro.

Em comunicado ao mercado, a estatal informou que está fazendo análises necessárias para o fechamento e divulgação das demonstrações contábeis, "incluindo a avaliação individual de ativos e projetos cuja constituição se deu por meio de contratos de fornecimento de bens e serviços firmados com empresas citadas na Operação Lava- Jato".

Ainda segundo a Petrobras, os contratos envolvendo negócios com a Refinaria Abreu e Lima (Rnest) também podem ser incluídos na avaliação, o que "poderá resultar no reconhecimento de perdas e consequente revisão de seu ativo imobilizado atual".

Adiamento
Em 13 de dezembro, a Petrobras adiou pela segunda vez a divulgação dos resultados, esperada inicialmente para o início de novembro, por conta da Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção envolvendo empreiteiras e pagamentos ilegais a políticos e que levou auditores independentes a se negarem a assinar o balanço do terceiro trimestre.

Ao adiar pela primeira vez o balanço, a estatal alegou que seria necessário um prazo maior para ajustar as demonstrações contábeis com base nas investigações da operação. Na ocasião, a empresa afirmou que tomaria as medidas jurídicas para ressarcir os supostos recursos desviados e "os eventuais valores decorrentes de sobrepreços dos contratos com as empresas participantes do suposto cartel".

 
 
 
 

G1