Petrobras dispara 11% e guia alta perto de 3% da Bovespa

Petrobras dispara 11% e guia alta perto de 3% da Bovespa

A Bovespa subia mais de 2% ba tarde desta quarta-feira (27), com as ações de Petrobras entre os destaques de alta na esteira do avanço dos preços do petróleo.

Às 16h35, o Ibovespa, principal indicador da Bolsa de Valores de São Paulo, subia 3,01%, a 38.627 pontos. 

 

 
As ações da Petrobras operavam em alta perto do mesmo horário. A ação preferencial (PETR4) tinha ganhos de 8,81%, a R$ 4,57. Já o papel ordinário (PETR3), que dá ao acionista direito a voto em assembleias da empresa, tinha alta de 11,24%, a R$ 6,63.
 
As ações preferenciais da Petrobras começaram o ano a R$ 6,70 e as ordinárias, a R$ 8,57.

 

Os contratos futuros do petróleo subiam forte nesta quarta-feira, após aumento inesperado nos estoques dos EUA. Em Londres e em Nova York, o barril era negociado acima de US$ 32.

As bolsas em Nova York seguiram a melhora do petróleo, com investidores também analisando resultados corporativos antes da decisão do banco central norte-americano. A expectativa é de manutenção dos juros, bem como reconhecimento de que as turbulências nos mercados financeiros ameaçam sua visão otimista sobre a economia do país.

A decisão do Fed sobre os juros nos EUA afeta os mercados porque juros mais altos no país atrairiam para lá recursos aplicados atualmente em outros mercados, como o Brasil.

 

JBS despenca
A JBS perdia mais de 12%. O papel segue pressionado por denúncia do Ministério Público em São Paulo contra executivos da holding J&F, que controla a empresa de alimentos, por crime contra o Sistema Financeiro Nacional. O caso envolve denúncias contra Joesley Mendonça Batista, presidente da J&F e presidente do Conselho de Administração da JBS.

 

Do cenário no Brasil, investidores também repercutem nova fase da operação Lava Jato da Polícia Federal, bem como o início da temporada de balanços, com os números do Santander Brasil divulgados mais cedo e o resultado da Fibria previstos para após o fechamento.

Na véspera, o Ibovespa recuou 1,4%, aos 37.497 pontos. Foi novamente o menor patamar desde 2009, segundo a Reuters.

 

 

G1