Petrobras: Vital reunirá líderes da CPI nesta terça para discutir sessão extra

Petrobras: Vital reunirá líderes da CPI nesta terça para discutir sessão extra

O presidente da CPI mista da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), vai reunir nesta terça-feira (14) os líderes partidários para discutir a convocação de uma sessão extraordinária da comissão ainda nesta semana.

 

Após revelações do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em depoimentos à Justiça na semana passada, a oposição cobra novas providências da CPI. Ambos disseram à Justiça Federal do Paraná que PT, PMDB e PP dividiam propinas de contratos da Petrobras e que parte do dinheiro foi usada na campanha eleitoral de 2010.

 

Vital do Rêgo disse nesta segunda-feira (13) que discutirá a possibilidade de uma sessão extra para esta semana. Segundo calendário da comissão, a próxima reunião seria apenas em 22 de outubro, quando os parlamentares colherão depoimento do atual diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, que sucedeu Paulo Roberto Costa no cargo.

 

“Estou voltando a Brasília nesta terça para me reunir com lideranças de todos os partidos que compõem a CPI para ver a possibilidade de convocarmos ainda esta semana uma reunião administrativa”, afirmou o senador.

 

O presidente da CPI, porém, lembrou que, devido ao período eleitoral, a última sessão da comissão teve baixa presença de parlamentares. Na última quarta-feira (8), a comissão ouviu a ex-contadora de Alberto Youssef, Meire Poza. Vital do Rêgo foi um dos integrantes que não compareceu. Ele disputou o governo da Paraíba, mas teve 5,22% dos votos e não chegou ao segundo turno.

 

“Estamos no meio do segundo turno das eleições presidenciais, e a reunião de quarta-feira já teve um quórum reduzido mesmo com oitiva de uma testemunha importante, que foi a contadora do doleiro Youssef. Mas vamos tentar com os líderes marcar ainda essa semana uma reunião administrativa atendendo a solicitação de diversos partidos”, disse Vital.

 

O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) informou que apresentará um requerimento para pedir que Youssef seja ouvido com “urgência” pela comissão. A convocação do doleiro já foi aprovada, mas a data do depoimento ainda não foi marcada.

 

De acordo com a secretaria da CPI mista, o requerimento de urgência, caso aprovado pela comissão, não obrigará o presidente Vital do Rêgo a marcar a data do depoimento do doleiro, mas funcionará como uma “pressão” pela realização da audiência. Até as 13h desta segunda-feira, o requerimento de Sampaio ainda não tinha sido protocolado no colegiado.

 

Os oposicionistas já apresentaram um requerimento para a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de Meire Poza e de sua empresa de contabilidade que prestou serviços a Youssef, a Arbor Consultoria e Assessoria contábil.

 

Outros requerimentos também apresentados e que os parlamentares da CPI poderão apreciar são os da convocação do tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, apontado por Youssef como "operador" do PT junto ao ao esquema, o que ele nega; do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque; de Enivaldo Quadrado, ex-sócio na corretora de valores Bônus Banval, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão e que trabalhou para Youssef; e de Breno Altman, jornalista que teria repassado dinheiro a Meire Poza para pagar a multa de Quadrado no mensalão

 

G1