Petistas se agarram na teta da 'quarentena remunerada', com salários de R$ 31 mil

Petistas se agarram na teta da 'quarentena remunerada', com salários de R$ 31 mil
Já são dezenas os pedidos de “quarentena remunerada” à Comissão de Ética Pública da Presidência da República, cujos integrantes foram nomeados por Dilma Rousseff. Espertos, ex-ocupantes de boquinhas no governo petista querem continuar recebendo seus salários integrais alegando “dificuldade de encontrar trabalho”. A malandragem petista foi usada antes por Antônio Palocci, ex-ministro da Casa Civil de Dilma. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
 
Ao menos seis ex-ministros de Dilma receberão R$ 31 mil por mês, sem trabalhar, alegando “conflito de interesses” com a iniciativa privada. Entre os que continuarão pendurados nas tetas do governo, recebendo salários integrais de ministro, estão Jaques Wagner e Miguel Rossetto (ambos na foto).
Até sexta-feira, a Comissão de Ética da Presidência concedeu 29 quarentenas a ocupantes de diversos cargos no governo Dilma.
 
 
 
 
RP