PERIGO: Energéticos e isotônicos aumentam hábitos considerados negativos

PERIGO: Energéticos e isotônicos aumentam hábitos considerados negativos
O consumo de energéticos e isotônicos por adolescentes está associado ao aumento de hábitos como fumo, consumo de bebidas açucaradas e mais horas jogando videogame. A conclusão é de um estudo com 2.793 estudantes do ensino fundamental e médio de 20 escolas públicas de Minnesota, nos Estados Unidos.

Os pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Minnesota pediram que os adolescentes relatassem o número de vezes que bebiam isotônicos e energéticos e tinham certos tipos de comportamento durante a semana.

Cerca de 38% dos adolescentes consumiam isotônicos pelo menos uma vez por semana, e 15% bebiam energéticos na mesma proporção. Em média, ambos os grupos jogavam quatro horas a mais de videogame e uma a mais de televisão do que aqueles que relataram o consumo com menos frequência.

O estudo mostrou também que 20% dos consumidores frequentes desse tipo de bebida disseram já ter fumado, contra apenas 8% dos grupo de menor ingestão.

Em artigo publicado no “Journal of Nutrition Education and Behavior”, Nicole Larson, principal autora da pesquisa, disse que os resultados “são preocupantes, porque eles podem indicar um agrupamento de problemas de comportamento entre alguns adolescentes”.

No entanto, o lado positivo daqueles que bebiam isotônicos e energéticos ao menos uma vez por semana é que eles realizavam mais atividade física do que os demais. Os cientistas afirmam que o estudo ainda é superficial e não foi possível dizer o que veio antes, o esporte ou o costume de consumir esse tipo de bebida, mas que a ligação com os comportamentos negativos era clara.

Os pesquisadores observaram que a exposição dos adolescentes a publicidade televisiva de bebidas energéticas aumentou 20% nos Estados Unidos entre 2009 e 2010.

“É fundamental que os adolescentes e seus pais sejam informados sobre as consequências potenciais associadas ao consumo de isotônicos e energéticos, e que a publicidade direcionada não continue a incentivá-los a comprar estas bebidas”, afirmou Nicole.

Segundo a Academia Americana de Pediatria, os isotônicos são desnecessários para adolescentes que praticam atividade física moderada, já que contém açúcar e podem contribuir para o ganho de peso e o aparecimento de cáries dentárias. No entanto, a academia afirma que uma pequena quantidade pode ser apropriada para aqueles que fazem exercícios intensos por períodos prolongados.

Já os energéticos são desaconselhados para crianças e adolescentes, por conter estimulantes como cafeína, que podem prejudicar o sistema cardiovascular e nervoso ainda em desenvolvimento.

 

 

Fonte: Revista Veja